26 Jun 2019
PS4

Análise – Trover Saves the Universe

Enquanto se espera pela nova temporada de Rick and Morty, Trover consegue-nos entreter.

Nunca é fácil para um novo IP se introduzir no mercado dos videojogos, e aproveitando o sucesso de Rick and Morty, foi o nome “Justin Roiland” que a Squanch Games utilizou para promover Trover Saves the Universe. Fãs de Rick and Morty apercebem-se logo das semelhanças com Trover logo no menu principal, pois o logótipo do jogo faz lembrar essa já lendária série de animação. Mas não fica por aqui, e as comparações são inevitáveis.

trover screenshot (7)

Trover Saves the Universe pode ser jogado com VR, mas não é obrigatório, mas foi desenhado para o fazerem dessa forma.

Tentei jogar sem o VR e foi uma experiência completamente diferente, pela negativa. É por isso que vou falar do jogo como sendo apenas uma experiência VR.

O jogo abre logo com o vilão Glorkon a raptar os nossos cães e aprisiona-los nos orifícios onde supostamente deveria ter olhos. Na cena seguinte apercebemos-nos que somos um Chairopean, habitante de um planeta onde toda a gente vive sentada em cadeiras.

Após um pequeno tutorial cheio de humor e montes de palavrões à mistura (constante deste jogo), Trover invade a nossa casa, dizendo que nos quer levar para o seu patrão e receber uma recompensa. Este pequeno ser que também tem duas criaturas nos orifícios dos olhos, afirma que está cansado e que a partir dali nós assumimos o controlo dele (a 4ª barreira também está constantemente a ser quebrada), e embarcamos numa jornada que acaba por não ser apenas “sermos raptados”.

Trover tem uma espada de energia para derrotar os inimigos, e à medida que vamos avançado na história, vai ganhando novas habilidades básicas. Nós também temos um papel a desempenhar. O nosso personagem não se consegue movimentar livremente pelo cenário, e apenas se consegue teleportar para certos pontos do cenário.

O objetivo é fazer com que Trover chegue ao próximo ponto e nos teletransportarmos, mas nunca para muito longe, porque o nosso personagem tem que sempre conseguir ver o que o seu parceiro anda a fazer. No inicio só conseguimos rodar a cadeira, mas vamos ganhando mais habilidades como subir a cadeira para ver melhor e pegar em objetos e arremessa-los, não só para ajudar Trover a derrotar inimigos, mas também para resolver puzzles.

O combate e os puzzles são bastante básicos, mas divertidos, principalmente porque não existem momentos silenciosos. Trover tem sempre algo a acrescentar, e geralmente tem piada.

Algo que ajuda nisso, é a sua voz. Tal como em Rick and Morty, Justin Roiland é quem dá a voz ao protagonista, e praticamente a toda a gente deste jogo, mas Trover tem exatamente a mesma voz de Morty, o que para os fãs é um incentivo enorme.Muitos dos inimigos são clones de Glorkon, e estes têm a voz igual à de Rick, e quando aparecem não se calam, e tal como o protagonista, têm sempre piada.

Foram poucos os momentos que não me arrancaram um sorriso, mesmo que 1/3 dos diálogos sejam os personagens a se insultarem uns aos outros (dá para ligar o filtro de censura).

A única critica que tenho a fazer, é que algumas falas arrastam-se demasiado, e mesmo assim em alguns casos é propositado, dada a reação de Trover. Por vezes podemos interagir nos diálogos, respondendo a perguntas de Sim ou Não, para isto basta abanarmos a cabeça na vertical ou horizontal, respetivamente. Algumas destas respostas podem ter consequências para algumas personagens.

Como objetivo secundário, temos que apanhar power babies ao longo dos níveis (aqueles bichos nos olhos de Trover), e isto faz com que Trover tenha mais pontos de saúde. Para um jogo VR, Trover Saves the Universe tem uma longevidade bastante razoável, diria que chega perto de Astro Bot: Rescue Mission.

Resumidamente, Trover Saves the Universe é como se tivessem a ver um episódio gigantesco de Rick and Morty.

O visual, ambiente, vozes e banda sonora por vezes confundem-se como um spin-off da série. Como jogo de plataformas é bom, e muito sinceramente podia ter mais profundidade, mas visualmente e em termos de comédia, está é bastante competente. Mais um jogo que aumenta o valor do periférico, e ainda por cima já foi prometido (pelo menos) um DLC gratuito.

Trover Saves the Universe
8 / 10 Pontuação
Vindo de Justin Roiland, só podia vir coisa boa. Um jogo bastante divertido e utiliza o VR de forma competente. Uma otima forma de passar o tempo enquanto a nova temporada de Rick and Morty não chega.
Rating8

Related posts