15 Dez 2018
PS4

Análise – SNK Heroines: Tag Team Frenzy

Um jogo de luta bastante peculiar…

SNK Heroines: Tag Team Frenzy é um dos jogos de luta mais estranhos que já joguei, e também dos que confundiu em relação à sua qualidade. É difícil perceber onde está a linha que divide o bom do mau.

Por norma, os jogos da SNK estão repletos de testosterona, mas neste título é coisa que não vão encontrar. Como o próprio título indica, SNK Heroines trata-se de um jogo de luta onde apenas se encontram personagens femininas de diversos jogos da companhia. KOF, Art of Fighting, Fatal Fury entre muitos outros estão aqui representados. A única personagem que é “nova”, é a versão feminina de Terry Bogard, que para quem é fã de Fatal Fury e King of Fighters, vai apanhar um choque ao ver no que o transformaram, apesar do design estar bastante engraçado.

Trata-se de um jogo de luta, bastante simples de jogar, lembrado alguns títulos clássicos de arcada, mas com alguns elementos que puxam a jogos como Super Smash Bros., nomeadamente o facto de apenas conseguirmos derrotar o oponente com um ataque especial depois de baixarmos a vida deste, e apanharmos itens do chão que nos permitem dar aquele dano extra. No entanto, SNK Heroines é um fighter que qualquer pessoa pode pegar. Com dois botões para ataques normais, um para agarrar e outro para executar o ataque especial, os combos giram todos em volta disto fazendo dele um dos fighters mais simples desta geração. O “tag team” no nome não é para o show, e podemos levar duas personagens para batalha e trocar entre elas a qualquer momento, criando assim diversas estratégias e combos interessantes.

Visualmente preparem-se para um jogo repleto de fanservice. O design no geral é óptimo (se ignorarmos o facto dos gráficos se assemelharem à era 128bits), mas as personagens são extremamente sexualizadas. Acaba por ganhar o rótulo “pervertido” em vez de homenagear as heroínas da companhia. Um dos pontos fortes, é que podemos customizar as meninas com montes de roupas e acessórios. Os cenários no geral estão bem construídos e detalhados, o problema é que a maior parte deles são muito parecidos, não oferecendo grande diversidade.

Versão alternativa de Terry Bogard

SNK Heroines Tag Team Frenzy não é um mau jogo, mas acaba apenas por ser “só mais um”. Nada contra jogos que sexualizem as suas personagens, mas o grande problema aqui é não existir grande motivação para jogar offline, pois a sua curta campanha de 7 batalhas é praticamente igual por cada combinação de personagens que usemos.

SKN Heroines Tag Team Frenzy
6 / 10 Pontuação
Resumo
SNK Heroines não é um mau jogo, mas num mercado com tantas alternativas de peso, acaba por ser mais um.
Rating6

Também te pode interessar