13 Dez 2018
Switch

Análise – Pokémon Let’s Go, Pikachu! / Eevee!

Um pequeno aperitivo para o que aí vem.

Quando foi anunciado, senti um aperto no peito por o jogo ser baseado no popular jogo mobile, mas os ânimos acalmaram assim que confirmaram que em 2019 iria sair o “verdadeiro” Pokémon para a Switch (Blizzard, é assim que se anuncia um spin-off!). Os últimos meses de espera foram dolorosos. O hype para voltar a Kanto estava em altas e até voltei ao Pokémon Go para farmar bichinhos para esta “nova aventura”. Será que valeu a espera?

pokemon lets go Eevee h
Pikachu e Eevee são as estrelas deste novo título.

Começamos em Pallet Town e desta vez não vestimos a pele de Red, mas sim de um novo personagem, podendo ser ele rapaz ou rapariga. O rival também não é Blue mas sim um novo rapaz que tem um dos piores designs de sempre da série Pokémon. Tal como em Pokémon Yellow, o nosso Pokémon inicial não é um dos típicos starters, mas sim Pikachu ou Eevee, consoante a versão do jogo que escolhemos. É ao sair do laboratório de Oak que nos apercebemos da maior mudança no jogo em relação aos anteriores: a forma como capturamos Pokémons. Deixamos de ter as típicas batalhas para cansar os Pokémons para termos um sistema semelhante ao de Pokémon Go, mas muito mais simples. Não tentem fazer aquelas curve balls, aqui é apenas apontar e atirar. Se conseguirmos acertar no centro do Pokémon quando o circulo está mais pequeno, ganhamos um bónus de captura. Existem também as bagas que acalmam o Pokémon, facilitam a captura ou dão mais candies quando os apanhamos.

Sim, tal como em Pokémon Go, aqui existem candies para aumentar os atributos individuais dos Pokémons. Cada captura dá experiência a todos os Pokémons da party (Exp. Share é coisa do passado) e se capturarmos da mesma espécie em sucessão, criamos um combo que quanto maior for, mais experiência nos dá e aumenta os IV’s dos pokémons que aparecem, assim como a possibilidade de encontrar shinies. Este combo é quebrado quando capturamos um Pokémon de outra espécie, quando deixamos fugir algum ou quando saímos do jogo, isto para que não consigamos fazer “batota” com os combos.

pokemon lets go capture
A captura de Pokémons é muito semelhante à de Pokémon Go.

Mas as batalhas em Pokémon Let’s Go continuam presentes. Existem treinadores espalhados por Kanto prontos a nos barrarem o caminho com os seus fortíssimos Rattatas e Pidgeys. Na sua essência, as batalhas continuam semelhantes, mas não nos deixando equipar itens nos Pokémons e deixando a meta do jogo mais simplificada. Outra ocasião que o jogo nos deixa combater, é contra os Snorlax que estão a bloquear caminho e que têm um mau acordar, contra os lendários e contra os carrancudos Electrodes na Power Plant que estão mortinhos por explodir.

Algo que me faz confusão é a história. Faz-me confusão no sentido de não perceber o que a Game Freak quis fazer com este título. Blue aparece no jogo em várias ocasiões, e faz referências ao facto de já ter feito a sua jornada por Kanto há algum tempo, mas os acontecimentos do jogo são, tirando um ou dois pontos, exactamente os mesmos dos originais Red e Blue. Tal como o design do rival, senti um enorme desleixo da Game Freak que ao invés de criar uma nova história para este jogo, decidiu criar uma espécie de universo alternativo. Por isso sim, quem cresceu com os jogos originais, não vai ter nada de novo em relação à história.

pokemon lets go mewtwo
O jogo apresenta-nos pequenas cinemáticas nos acontecimentos chave da história.

Apesar de ser a mesma história dos originais, existem alguns pontos que tiveram de ser adaptados. Em primeiro lugar acabaram com bicicleta e canas de pesca, pois são itens que neste jogo não teriam utilidade nenhuma. Alguns Pokémons podem ser usados como meios de transporte e como todos os Pokémons aparecem no mapa, acabando assim com as batalhas aleatórias, não existe necessidade de ter uma bicicleta nem tão pouco uma cana de pesca. Já que falei em Pokémons que podem ser usados como transportes, aproveito para falar de Pikachu/Eevee, as estrelas deste jogo. Tal como o Pikachu da anime, estas duas mascotes recusam-se a entrar nas Poké Bolas e estão sempre connosco. Podemos interagir com eles através de um mini-jogo semelhante ao Pokémon Amie no X/Y. Isto faz com que o nosso nível de amizade com eles aumente, o que terá consequências em batalha, fazendo com que eles de tempos a tempos realizem ataques especiais e que se desviem de ataques e que curem debuffs com maior frequência. Podemos também mudar as roupas deles, assim como a do nosso personagem.

pokemon lets go pikachu
A Game Freak não poupou na fofura das duas mascotes.

Outro elemento que entrou neste jogo foi o modo cooperativo. Com um abanão do segundo Joy-Con, outro personagem junta-se ao jogo, permitindo assim ter a ajuda de um amigo ou familiar para capturar pokémons e ajudar nas batalhas. Quando estamos com um amigo na sessão, as batalhas tornam-se 2vs1.

Há quase duas décadas que sonhamos com um Pokémon totalmente 3D, mas ainda temos de esperar para o título de 2019. Antes que me caiam em cima, olhando bem para o visual, é o mesmo que vimos em Sun/Moon mas em HD. A perspectiva, cenários, ambiente são semelhantes aos últimos jogos da 3DS, o que não quer dizer que não seja bonito, antes pelo contrário, o jogo é bastante agradável à vista em modo portátil. No modo TV apesar do aumento de FPS, o scaling do jogo fica estranho e os contornos dos personagens ficam com menor definição. Os modelos dos Pokémons são os mesmos do Pokémon Go, o que não me chateia pois estamos a falar um jogo que acaba por ser da mesma franquia que para além do mesmo sistema de captura, os Pokémons de Kanto apanhados no jogo da Niantic, podem ser transferidos para Let’s Go.

Agora todos os Pokémons aparecem no mapa, acabando assim com as batalhas aleatórias.
Agora todos os Pokémons aparecem no mapa, acabando assim com as batalhas aleatórias.
Surf, Fly e afins são apenas ataques normais. Para acções especiais, Pikachu e Eevee aprendem técnicas secretas.
Surf, Fly e afins são apenas ataques normais. Para acções especiais, Pikachu e Eevee aprendem técnicas secretas.

Pokémon Let’s Go vem acompanhado de um acessório chamado Poké Ball Plus que comprei mais para ter o Mew (o do Go não dá para transferir para o Let’s Go), mas acabou por ser a supresa mais agradável deste pacote. No Pokémon Go funciona de forma impecável. Tal como o Pokémon Go Plus, avisa quando estamos perto de uma PokéStop ou de um Pokémon e com um clique no botão podemos interagir com esses dois elementos, mas se colocarmos um Pokémon dentro da bola, ela vai rodar os PokéStops de forma automática. No Pokémon Let’s Go o caso muda de figura, que apesar de ser uma experiência bastante agradável, acaba por ser também a pior forma para jogar o jogo.

Existem 3 formas de jogar Pokémon Let’s Go: modo tablet e aqui apontamos a Poké bola com o giroscópio ou com o analógico; com os Joy-Cons e aqui existe um problema gravíssimo, que por vezes estamos a apontar para o sitio certo mas a bola vai para o lado oposto do ecrã; e com a Poké Ball Plus em que as nossas Poké Bolas no jogo ganham uma espécie de “auto-aim“, e só temos de atira-la na altura certa. Esta podia ser sem dúvida a melhor forma de desfrutar do jogo, mas infelizmente torna-se impossível de o fazer quando jogamos em modo TV. O acessório apenas tem dois botões: um no analógico e outro em cima. O primeiro serve como A, ou seja, para selecionar acções. O de cima é o botão para cancelar e para abrir o menu. Não existe Y, que é fundamental para, por exemplo, abrir a nossa box com todos os Pokémons. Essa é outra alteração do jogo, as boxes. Deixamos de ter computadores mas sim uma box onde temos todos os nossos Pokémons. Nesta box podemos enviar os Pokémons que não queremos para o Professor Oak em troca de candies. O na bola é “agita-la”, o que infelizmente só descobri depois de completar o jogo, pois não está muito explicito no jogo.

poke ball plus
Este pequeno acessório é fantástico no Pokémon Go e dá um conforto enorme a jogar no Let’s Go, se não precisarmos de trocar de elementos da party…

Para terminar, quero apenas falar da longevidade. Em 2004, a Game Freak lançou Pokémon Fired Red & Leaf Green, remakes dos originais e que depois da Elite Four nos dava a opção de explorar um novo arquipélago, carregado de novos Pokémons e desafios que nos aumentava a experiência em largas horas. Aqui nada disso acontece. Quando terminamos a liga, 153 mestres aparecem no mapa. Cada um deles tem um dos diferentes Pokémons, a níveis bastante altos e com um ataque que é super efectivo a ele mesmo. A nossa tarefa é combater de igual para igual, ou seja, apenas com um Pokémon igual ao dele e sem utilizar itens. Ao inicio tinha como objectivo derrotar todos, mas quando reparei que o jogo não tem everstone, desisti logo. Já é chato ter que evoluir cada um dos Pokémons acima de nível 70, quando mais a ter que parar a sua evolução a cada santo nível.Terminei o jogo com o Pokédex completo com 22 horas e depois de ter apanhado todos os fatos, ter comprado todas as Mega Stones e as formas de alola, não me resta mais nada para fazer para além de caçar shinies.

Jogar em modo cooperativo é bastante divertido e uma boa forma de introduzir a série a um público mais jovem.
Jogar em modo cooperativo é bastante divertido e uma boa forma de introduzir a série a um público mais jovem.
Foi um fim de semana bem passado com alguns tropeções pelo caminho e um desejo enorme por novos desafios.
Foi um fim de semana bem passado com alguns tropeções pelo caminho e um desejo enorme por novos desafios.

Resumidamente, Pokémon Let’s Go acabou por me desiludir. Estava à espera de uma aventura numa região que conheço bastante bem mas recheada de surpresas, mas acabei por encontrar um dos jogos com menos inspiração dentro da série. Apesar de me ter divertido com ele, senti que acabou muito depressa e a sua falta de profundidade não me dá vontade de criar uma equipa para combater online. Mas atenção, é uma excelente forma de introduzir novos jogadores à série e partilhar momentos bastante divertidos com os mais novos.

Pokémon Let's Go, Pikachu! / Eevee!
6 / 10 Pontuação
Resumo
Apesar das suas boas ideias, Pokémon Let's Go é uma oportunidade perdida por parte da Game Freak. Quero acreditar que é um título para introduzir novas pessoas à série e para experimentar conceitos que poderão ser implementados no próximo jogo da série.
Rating6

Também te pode interessar