21 Out 2019
PS4

Análise – Immortal Legacy: The Jade Cipher

Será Immortal Legacy: The Jade Cipher “apenas mais um”, ou conseguirá deixar a sua marca?

Colocando o Playstation VR e pegando nos move, Immortal Legacy: The Jade Cipher leva-nos à misteriosa ilha Yingzhou, numa aventura vista pelos olhos de Tyre, um ex-soldado que embarca nesta expedição na tentativa de desvendar o mistério da morte da sua mãe.

Depois de uma chega muito atribulada, Tyre é capturado por um misterioso grupo, mas a sua encarceração é curta pois logo de seguida é solto por Cookie Pie, uma streamer excêntrica que se encontra na ilha em busca de dragões. Aqui as coisas começam a ficar bizarras, mas é apenas a ponta de algo maior.

Immortal Legacy
O combate é um dos pontos fortes do jogo. Existe uma boa variedade de armas para utilizar.

Após uma breve conversa com esta misteriosa personagem, assumimos finalmente o controlo do protagonista.

Primeira coisa a fazer num jogo destes, é explorar o comportamento do nosso personagem face ao movimentos que fazemos, e aqui fiquei com um sabor agridoce na boca. Apesar da mira se comportar de forma bastante precisa, as animações das mãos por vezes deixam muito a desejar, o que pode causar alguma confusão e questionarmos se estamos a agarrar bem nos move.

Pode ser “picuisse” minha, mas achei importante referir este ponto, pois as mãos do personagem são aquilo que mais vamos ver ao longo de todo o jogo. Vamos ignorar o facto de não termos pernas e focar em algo mais importante: a posição da camera de jogo em algumas partes da história.

É um jogo VR, era natural que todo o jogo fosse visto na perspectiva do protagonista, ou mesmo em cutscenes, estas seriam “normais”, mas o que acontece em Immortal Legacy é algo bizarro. Existem parte das história em que somos “teletransportados” para os sítios mais estranhos, como para o céu, ou até mesmo para o chão. Os produtores do jogo devem ter achado por bem que gostássemos de ver a acção na perspectiva de um barril.

immortal legacy screen2
Existem alguns personagens bem interessantes.

De resto, o jogo funciona bem. Podemos utilizar as duas mãos para manejar as armas, sejam elas de fogo ou corpo a corpo.

Podemos ter duas pistolas equipadas, uma pistola e uma catana, uma catana e uma granada, é como nos sentirmos mais confortáveis e conforme a situação nos pedir. Armas grandes como assault rifles, temos de lhes pegar com as duas mãos.

Podemos também pegar e inspeccionar objectos, fazer outro tipo de acções como puxar alavancas e carregar em teclados numéricos para resolver puzzles e abrir portas. Apesar da movimentação levar algum tempo até nos habituarmos, está tudo feito de forma a tornar a nossa vida mais fácil, com atalhos para gerir inventário on the go, movimentar para os lados sem que nos viremos na vida real (VR Wireless é um sonho).

Graficamente é aquilo que podemos esperar de um jogo VR desta geração. Nada muito detalhado para não sacrificar os frames por segundo, mas existem alguns designs bastante interessantes e ambientes bem conseguidos.

Tirando o que já falei da câmera, algo no departamento visual que tenho que destacar pela negativa tem a ver com os loadings. O que seria natural, era começar a carregar uma nova área quando estamos prestes a abandonar a antiga, ou até mesmo parar a acção e mostrar um ecrã que nos indica que está a carregar algo mais, mas os produtores de Immortal Legacy decidiram parar a acção, colocar um ecrã todo preto durante largos segundos e de seguida retomar a acção no mesmo sitio. Sim, estes “loadings” acontecem com muita frequência e em sitio completamente aleatórios.

immortal legacy screen1
Os ambientes estão muito bem conseguidos.

Immortal Legacy: The Jade Cipher apesar de ter algumas secções e mecânicas interessantes, acaba por ser “mais um” e não ficará na memória dos jogadores durante muito pouco tempo. Pode ser que a Viva Games aproveite o que conseguiu fazer de bom com este título para nos trazer algo diferente do resto da “carneirada”.

Immortal Legacy: The Jade Chiper
6 / 10 Pontuação
Pros
Apesar de algumas boas ideias, Immortal Legacy: The Jade Cipher acaba por ser mais um num mar de tantos jogos do género. São cerca de 4 horas bem passadas mas que nem está perto de ser memorável.
Rating6

Related posts