20 Nov 2019
PS4

Análise – Beat Saber

Star Wars meets Guitar Hero em Beat Saber, o novo jogo que chegou ao PlayStation VR.

Ao inicio era muito céptico em relação à realidade virtual nos videojogos, mas Beat Saber sempre foi um dos jogos que me chamou à atenção quando foi lançado em exclusivo no PC. Agora na PlayStation 4, tive a felicidade de o jogar, e superou todas as expectativas que tinha de quando via vídeos e streams do jogo.

Beat Saber

Como fã de Star Wars, sabres de luz estiveram sempre presentes na minha vida. Seja guarda chuvas, canas e até mesmo réplicas dos sabres de Star Wars, sozinho ou acompanhado, passei a minha infância toda a imaginar que era um mestre Jedi. Hoje em adulto, volto a sentir esse sentimento mas com os move nas mãos e o PS VR na cabeça, não num jogo de Star Wars, mas sim num jogo rítmico.

Beat Saber é um jogo onde temos que cortar cubos voadores na altura e na forma correcta. É obrigatório jogar com dois comandos move, e cada um representa no jogo um sabre azul e outro vermelho. Basicamente, temos de cortar cubos da cor correspondente de cada sabre. Cada um desses cubos vem com uma seta branca que indica onde deve ser feito o corte, ou seja, se a seta estiver no lado direito do cubo, temos que o cortar da direita para a esquerda, e não de cima para baixo, ou da esquerda para a direita. Existem cubos sem seta, e estes podem ser cortados como bem nos apetecer. Para além de cortar cubos, ocasionalmente vão aparecendo “paredes” e bombas das quais nós temos que desviar ou evitar cortar, respectivamente. Isto tudo, num visual “neonesco“.

Beat Saber

Desde que estejamos na área de visão da câmera, o jogo detecta os nossos movimentos na perfeição. É raro ter algum problema a controlar os sabres, a menos que me distraia e saía para fora da área de jogo. A vibração dos comandos e feitos sonoros ajudam na imersão do jogo, faz nos sentir que temos mesmo dois “sabres de luz” nas mãos. Outro aspecto curioso, é que consigo estar a jogar bastante tempo de seguida sem que me dêem tonturas ou náuseas, algo que me acontece bastante a jogar qualquer outro jogo VR.

O jogo base vem com mais de uma dezena de músicas, compostas para o mesmo. Seja em Easy ou Expert, os níveis foram criados de forma a que cada movimento se adeque à música, o que faz com que até os menos experientes consigam tirar umas boas horas de divertimento com o jogo.

Existe um modo campanha, modo esse que eu aconselho a terminarem antes de tentarem bater qualquer tipo de recordes. Este modo consiste numa série de níveis em que temos de terminar as diferentes músicas do jogo mas com alguns “twists” pelo meio.

Alguns níveis exigem que completemos uma música com um mínimo de pontuação, com um número máximo de falhas e até mesmo com o mínimo de movimentos possíveis.

Outros objectivos parecem absurdos, mas na verdade ajudaram-me muito a evoluir no jogo. A meio da campanha já conseguia bater muitos níveis em Expert.

Beat Saber

Podemos também utilizar modificadores que nos podem remover as setas dos cubos, fazer com que não consigamos, perder entre outros. Pequenos modificadores que nos deixam jogar o jogo da maneira que bem nos apetecer.

Mais recentemente foi lançado um novo DLC chamado Monstercat Vol. 1, que adiciona 10 novas músicas ao jogo. Estas músicas são todas da produtora de música electrónica “Monstercat“. No geral, gostei de todas as músicas, pelo menos dentro do contexto do jogo. Todas elas se adequam na perfeição ao ambiente que o jogo nos proporciona.

Beat Saber é um jogo com uma premissa bastante simples, mas foi o jogo que mais me colou ao Playstation VR. Se os periféricos estiverem bem posicionados, o jogo funciona na perfeição. É extremamente divertido esquartejar “desalmadamente” cubos coloridos ao ritmo de música electrónica. Principalmente nas dificuldades máximas, dominar uma música é das melhores sensações provocadas pelos Playstation VR. Um jogo obrigatório para qualquer possuidor do periférico.

Análise feita com base na cópia do jogo e respectivo dlc, cedidos gentilmente pela Playstation Portugal.

Beat Saber
9 / 10 Pontuação
Resumo
Beat Saber tem o poder de sugar a nossa alma para dentro do Playstation VR e fazer com que se perca a noção do tempo. Uma autêntica obra-prima no que toca à utilização da realidade virtual.
Rating9

Related posts