13 Dez 2018
PS4

Análise – Battlefield V

A DICE aventura-se pela sangrenta WWII.

Foi há 2 anos que a DICE se aventurou na primeira grande guerra e trouxe-nos Battlefield 1, um verdadeiro épico dentro do seu género que revitalizou uma série que já mostrava algum desgaste. É com Battlefield V que a DICE tenta elevar a fasquia e decide entrar naquela que é a maior e mais sanguenta guerra dos tempos modernos, a Segunda Guerra Mundial.

battlefield 5 screen
O Frostbite Engine continua a surpreender.

Sem grandes rodeios, mais iniciamos o jogo pela primeira vez somos atirados para a introdução da história, onde passamos por vários cenários assistindo na primeira pessoa à morte de vários soldados durante a segunda grande guerra e mostrando-nos as diferentes formas de jogar Battlefield V, seja a pé, em veículos, em abordagens mais furtivas ou matando tudo o que se mexe. Acompanhado de uma banda sonora e um monólogo inspirador, estes 15 minutos refletem a jornada épica que vamos ter pela frente.

Tal como no título anterior e remando contra a maré que se aproxima de jogos do género, Battlefield V têm uma campanha single player, ou melhor, várias mini, mini, mini campanhas.  Ao todo são 4 War Stories, mas até à data desta análise apenas 3 se encontravam disponíveis. A primeira, de seu nome Under no Flag, seguimos o episódio de Billy Bridger, um criminoso Inglês a quem lhe é dada uma segunda oportunidade, sendo recrutado pela SBS onde tem que destruir bases da Luftwaffe no norte de África. Como todas as War Stories, Under no Flag está dividida por 3 segmentos onde temos que realizar diferentes tarefas, todas eles dando-nos um pequeno olhar sobre os objectivos que temos disponíveis no modo online. Existe alguma liberdade na forma como abordamos o nosso objectivo. Podemos infiltrar nas bases inimigas sem que ninguém nos detecte, ou podemos simplesmente roubar um avião e rebentar com os objectivos, fica ao critério do jogador. Convém fazer as coisas de forma bem pensada, pois existe alguns coleccionáveis e desafios dentro das missões que para além de nos motivarem a explorar as histórias, também nos dão armas corpo-a-corpo exclusivas.

Battlefield-V-15 war story

A segunda missão chama-se Nordlys e tem como palco a gelada Noruega em 1943. Aqui seguimos Solveig Fia Bjørnstad que tem como missão salvar a sua mãe que foi capturada pelos Alemães. Seguindo o modelo de Under the Flag, Nordlys tem uma componente bastante emocional, algo que a DICE quis deixar bem claro com estas histórias, onde os personagens tem as suas demandas pessoais enquanto acabam por ajudar num bem maior: o fim da guerra. Esta War Story tem alguns elementos curiosos, como o Ski que Solveig utiliza para se movimentar na neve. Provavelmente uma secção em particular onde temos que destruir vários objectivos num mapa enorme, foi a minha parte favorita da “campanha”, pela dinâmica que o Ski nos dá para fugir dos inimigos. Existe também uma secção em que para além de termos que combater Nazis, também temos que encontrar fontes de calor para evitar uma hipotermia. E por fim temos Tirailleur. Aqui seguimos Deme, um veterano das forças coloniais Senegalensas durante a operação Dragoon em 1944, que está nos dias de hoje a contar o que se passou naquela data. Esta história em termos de jogabilidade não acrescenta nada de novo em relação às outras. Trata-se apenas de avançar nas linhas inimigas, conquistar pontos e destruir defesas para que o resto da infantaria consiga avançar com o ataque. O que realmente é interessante, é ver como Deme e os seus companheiros que assumidamente têm pouca experiência, conseguiram repelir forças tão poderosas como era as da Alemanha Nazi.

battlefield-5-war-stories-screenshots-aus-dem-singleplayer_6047312

As 3 War Stories disponíveis acabam-se todas facilmente em menos de 4 horas mas o seu objectivo nunca foram ser compridas, mas sim dar uma outra visão acerca da guerra e mostrar de uma forma geral, o que podemos contar no modo online que é o grande foco da série.

O modo Firestorm a.k.a Battle Royale só estará disponível numa data a anunciar, por isso apenas me irei focar no modo online “normal”. Apesar de ser semelhante aquilo que foi feito em Battlefield 1, esta nova entrada na série apresenta-se mais rápida e com alguns elementos novos que faz com que as partidas sejam mais fluídas. Agora é mais fácil saltar por cima de obstáculos, subir rochedos e até conseguimos saltar de costas, ficando prontos a disparar para a frente com grande rapidez, um conceito mais eficáz de drop shot.

battlefield-v-screenshot-1-1536247351

Em relação ao jogo em si, é Battlefield puro e duro. Desde as grandiosas batalhas de Conquest até às intensas dog fights de team deathmatch, a acção é sempre épica e não foge muito daquilo que o título anterior nos ofereceu. A grande vantagem deste ano, é que todo o conteúdo adicionar será gratuito, o que é um grande incentivo para os fãs da série.

Dou aqui os meus parabéns à DICE pela forma como o jogo está optimizado no PC. Apesar de ter uma já datada 960 GTX, o jogo corre na perfeição, bastante fluído sem qualquer quebra de frames, apesar do soberbo visual que o jogo tem e da quantidade de jogadores que os mapas conseguem suportar. Até o próprio net code do jogo tem uma qualidade divinal. Quando o meu serviço de internet está com problemas, é impossível jogar o concorrente da Activision em condições nem mesmo o velhinho Counter-Strike, mas Battlefield V corre sem qualquer problema, mesmo quando tenho o ecrã cheio de icones de problemas na ligação.

BFV_RevealScreenshot_07_wLogo

Até à data, Battlefield V é o que Battlefield 1 foi, com algumas melhorias que foram implementadas ao longo de vida do jogo, e uma movimentação mais rápida para tornar as partidas mais fluídas. A grande novidade chegará numa data a anunciar, que certamente iremos analisar, por isso fiquem atentos que até lá iremos andar pelo multiplayer a completar desafios para desbloquear camos, personagens e roupas para exibirmos aos nossos inimigos.

Battlefield V
8 / 10 Pontuação
Resumo
Pegando no excelente trabalho feito no anterior título, a DICE faz alguns ajustes para tornar Battlefield V numa experiência mais fluída. O facto de todos os conteúdos extra serem gratuitos e, no caso dos jogadores de PC, o jogo estar bastante bem optimizado, faz com que seja uma excelente aposta para os amantes de jogos de guerra.
Rating8

(Veredito sujeito a alteração após lançamento do modo Firestorm)

Também te pode interessar