A Firaxis sagrou-se nos últimos anos como a produtora que encontra o perfeito equilíbrio entre complexidade e acessibilidade nos seus jogos de estratégia.

Luís Magalhães:

Este é daqueles jogos que não joguei um décimo daquilo que queria. Não o fiz porque quero manter algo semelhante a uma vida. Não quero perder a minha namorada, e não quero ficar desempregado. Depois de, em 2012, ter feito semanas em que sacrificava entre 3 a 5 horas de sono por dia no altar de XCOM, já sei que a Firaxis faz jogos com a capacidade de arrasar por completo o meu auto-controle.

Paulo Gomes:

A expansão Brave New World conseguiu trazer uma maior profundidade ao jogo Civilization 5, tornando um excelente jogo em algo ainda melhor.
Para além de várias novas Civilizações, incluindo Portugal, temos ainda várias novas mecânicas de jogo para os veteranos de Civilization 5 poderem experimentar.
O resultado é um jogo mais completo, mais complexo e mais profundo, sendo uma experiência absolutamente viciante para todos os fãs de estratégia.

Podem ler a nossa análise a Civilization V: Brave New World aqui. Qual será o nosso próximo jogo do ano?