27 Ago 2018
Artigos

Antevisão – Until Dawn

Desde 2012 que não ouvíamos falar de Until Dawn, um título que iria usar todas as capacidades do comando move Playstation 3. Muito mudou em dois anos: o jogo encontra-se em desenvolvimento para a PlayStation 4, o uso do comando Move foi descartado e agora iremos controlar as personagens na terceira pessoa em vez na primeira para uma experiência mais cinematográfica.

A Supermassive Games decidiu usar ao máximo as capacidades do Dualshock 4. Por exemplo o uso do touchpad para o desfolhar das páginas de um livro e o sensor de movimento para rodar os objectos com a possibilidade de descobrirmos novas pistas capazes de ditar o desenrolar da história.

O produtor executivo Pete Samuels e o director criativo Will Byles foram os membros da equipa que deram a conhecer a todos os membros dos média, Until Dawn.Apresentação rápida e simples onde os elementos do cinema de terror americano estiveram bastante presentes. Um grupo de oito amigos decide passar férias juntos, um ano depois do desaparecimento de Anna, uma amiga dos oito jovens adolescentes. Alojados numa cabana algures no cimo de uma montanha, estranhos eventos começam a acontecer e a aterrorizar todo o grupo.

Until Dawn

Sentimento forte mas oculto.

A demo passa-se no meio da campanha, e centra-se em Ashley e Chris, dois amigos que se sentem atraídos um pelo outro mas que são incapazes de expressar esse sentimento.
Separados do grupo, Ashley e Chris decidem explorar a cabana à procura Sam. O conceito do jogo é explorar todos os objectos que nos rodeiam para decifrar os estranhos acontecimentos que estão a ocorrer.
Estes objectos com os quais podemos interagir só ficam realçados no ecrã quando nos encontramos próximos dos mesmos. Will Byles mencionou que este efeito foi implementado para que a experiência seja o mais cinematográfica possível. O par encontra uma pequena casa de bonecas de porcelana (por sinal arrepiante) e acaba por descobrir que o psicopata que os persegue tem conhecimento do que aconteceu a Anna, a rapariga que desapareceu.
Após alguma interacção e escolhas, Ashley e Chris acabam por encontrar Sam, mas infelizmente são capturados pelo psicopata.

Until Dawn

Ambiente arrepiante com vários elementos conhecidos do cinema de terror.

Num momento muito semelhante a Saw, o par romântico encontrasse frente a frente atados a uma cadeira e com duas serras eléctricas sob as cabeças. As serras eléctricas começam a descer e Chris é obrigado a fazer uma escolha. O assassino deixa uma pistola à frente de Chris e diz que para um sobreviver ele terá de decidir quem vive. Ou Chris suicida-se acabando por salvar a sua amada ou decide matar Ashley para assim sobreviver. A demo termina neste climax deixando tudo em aberto até ao lançamento do jogo.

Gostei bastante da apresentação. Ao contrário dos jogos de terror japoneses, este junta contos de terror americanos para a criação do título. SAW, I Know What You Did Last Summer entre outros, estão presentes em força nesta história, algo que se pode revelar positivo ou negativo dependendo dos gostos pessoais de cada um.

Until Dawn

Ashley ou Chris, tu escolhes.

Ao assistir à demo, uma coisa é certa, senti-me sempre tenso, a música e os efeitos sonoros estão muito bem realizados e a perspectiva na terceira pessoa proporciona momentos de terror muito gratificantes.
Outro aspecto que falaram foi no efeito borboleta. Acções que realizamos no jogo que irão ditar o futuro das nossas personagens, onde vida e morte jogam lado a lado.
Não encontrar uma pista, decidir por uma resposta em vez de outra ou optar por diferentes caminhos faz com que a história se desenrole de diferentes formas.
No final a equipa revelou que existem mais de 100 finais possíveis e que por vezes a morte de certas personagens não deriva de acontecimentos que estejam a ocorrer naquele momento mas de decisões tomadas em partes anteriores no jogo.

Until Dawn

As ramificações das asas representam as várias escolhas do jogo.

Reinvenção dos jogos de terror? Não sei se será a melhor forma de caracterizar Until Dawn, mas é certamente uma lufada de ar fresco neste género que tem vindo a desaparecer ao longo dos anos. Tenho pena que o trailer apresentado na Gamescom não tenha feito jus ao jogo, pois Until Dawn revelou-se uma das melhores surpresas que tive na Gamescom 2014.

Podem ainda assistir à demo apresentada na Gamescom 2014 neste vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=_ktwfeFDSgA

Também te pode interessar