26 Ago 2018
Antevisão

Antevisão Tom Clancy’s Rainbow Six Siege

Com um pouco mais de cobertura e cautela.

Durante a E3 2014, a Ubisoft apresentou-nos a mais um título da série de jogos baseados (ou que em tempos se basearam) nas obras literárias de Tom Clancy. Desta vez, da sub-série Rainbow Six.

Conhecida desde os tempos da PlayStation 1, com o título Tom Clancy’s Rainbow Six: Rogue Spear, sempre se apresentou como o mais tático da série de jogos.

Rainbow Six Siege não se desvia dessa fórmula, muito pelo contrário, aposta ainda mais no jogo tático em equipa. Encarando o papel das melhores forças especiais do mundo, como a SAS, GIGN, FBI/SWAT, Spetsnaz e a GSG9, teremos ao nosso dispor os melhores equipamentos para derrotar os terroristas.

Tática acima de tudo
Tática acima de tudo

Durante o jogo vamos ganhando créditos que servem para o jogador desbloquear soldados únicos , armas e acessórios. Cada soldado tem a sua história, assim como um nome adequado à sua especialidade. Existem armas específicas para cada força policial, tendo cada soldado, uma seleção de armas associado à mesma. Com os créditos extra podem comprar miras e outros acessórios para personalizar as armas ao vosso gosto.

Sim, os nossos inimigos são terroristas não especificados, embora haja daqueles que explodem em cima de nós, que tomaram posse de uma zona, e cabe ao jogador trabalhar em equipa para completar o objetivo. No modo competitivo, tivemos a oportunidade de experimentar o modo TDM Bomb e TDM Secure Area.

São modos de jogo parecidos, mas com pequenas diferenças. No TDM Bomb temos de infiltrar um espaço que tem duas bombas escondidas no interior, com o objetivo de as desativar. No TDM Secure Area, infiltramos um espaço onde os terroristas se barricaram. Teremos de infiltrar cuidadosamente o local para os eliminar um a um, evitando as suas armadilhas e usando todos os gadgets que temos disponíveis.

No modo competitivo (TDM Bomb e TDM Secure Area) o jogo é constituído por duas fases. Os primeiros trinta segundos servem para os atacantes se porem em posição ou ganhar informação do que se passa nos interiores. Para isso temos cordas de rapel que nos permitem alcançar pontos mais altos, criando novas possibilidades de ataques em conjunto. Se quiserem tentar uma abordagem mais cautelosa e estudada, todos os jogadores têm direito a um pequeno aparelho telecomandado que permite entrar no espaço sem ser detetado e registar a posição dos inimigos ou objetivos.

Há muitas maneiras de planear a vossa entrada
Há muitas maneiras de planear a vossa entrada

Após esta primeira fase, os jogadores atacantes têm um tempo limitado para cumprir o seu objetivo. Idealmente, estarão a jogar com amigos ou com jogadores com um microfone para comunicarem os próximos passos. Na pior das hipóteses, estarão na mesma situação que eu durante 75% de toda a Beta, onde era um novo modo de jogo inventado pela comunidade – Salve-se Quem Puder (sim o nome está em português).

A série ficou conhecida pela sua dificuldade e vertente tática, e Rainbow Six Siege não foge da regra. Não temos vida regenerativa, o que limita muito o nosso jogo, de uma maneira positiva. Ou pelo menos é supost ser de uma maneira positiva. Seria de se esperar que os jogadores optariam por uma opção mais cautelosa, contudo, lembro-me bem da minha primeira vez a jogar, a subir uma parede, humildemente a por-me a postos para entrar por uma das janelas no andar superior, quando de um momento para o outro “BOOM”, “BANG”, “BANG”, “BOOM”. A minha equipa já tinha entrado de rajada na casa, enquanto eu ainda nem tinha posto a placa explosiva na janela. Nem um terrorista me deixaram…

Abrir um buraco na parede e encher a sala de explosivos é... eficaz!
Abrir um buraco na parede e encher a sala de explosivos é… eficaz!

Se a impaciência do modo competitivo for demasiado para vocês, têm ainda o Terror Hunt. Um modo cooperativo online, onde nos juntamos a mais quatro jogadores, com o prepóstio de limpar um espaço cheio de terroristas. Ao contrário do competitivo que é 5v5, no modo Terror Hunt estarão numa situação de 5v22. Desses dois inimigos temos algumas variantes como o Ambusher, Explosive e Terrorist. O Ambusher estará sempre à procura da melhor maneira de apanhar os jogadores de costas, o Terrorist é o mais fácil, pois não tem nenhuma particularidade em específico e o Explosive é o pior de todos, visto ser o mais resistente, e como o nome indica, o que explode na vossa cada.

Para além da opção online, se procuram um desafio adicional, podem escolher o modo Lone Wolf, onde as coisas se complicam e as equipas ficam 1v22.

Graficamente, podemos dizer que estamos satisfeitos com o resultado final do jogo, embora ainda haja uma grande falta de animações no jogo. Esperemos que isto esteja corrigido na versão final, porque os inimigos suicidas não explodem sem que haja uma explosão. Conseguimos desculpar o facto de o corpo deles não ficar no chão

Quanto à conetividade e ao matchmaking, ainda encontramos uma boa quantidade de problemas, contudo há que ter em conta que experimentámos a versão Beta, o que significa que ainda haverá alterações até à versão final. O grande problema no matchmaking é quando um jogador abandona o jogo, os outros ficam num purgatório de conetividade, demorando vários minutos até a coneção se recompor e até aparecer um jogador novo. Durante o jogo não encontrámos grandes falhas de conetividade, tirando uma ou outra vez em que a eramos desconetados do jogo.

Uma boa defesa supera um grande ataque
Uma boa defesa supera um grande ataque

Infelizmente, Rainbow Six Siege não é um jogo que vá agradar ao público em geral, visto tratar-se de um jogo que apenas trará uma vertente online. O jogo não conta com uma campanha a solo, e muito provávelmente, o pouco conteúdo de “campanha” que o jogo deve ter será o pequeno trailer com a história de cada soldado.

Quem for fã de jogos fáceis de pegar e prontos a jogar umas rondas online com os amigos, Rainbow Six Siege poderá ser uma boa opção para vocês. Mas se procurarem algo mais aprofundado e com conteúdo, talvez seja melhor esperarem por outros títulos, do mesmo género, que estarão disponíveis no final deste ano.

Também te pode interessar