25 Ago 2018
PS4

Análise – LEGO Marvel Super Heroes 2

LEGO, assemble!

Para finalizar o ano de 2017 a TT Games lançou mais um jogo da LEGO baseado num franchise, desta vez sobre o universo da Marvel.

No LEGO Marvel Super Heroes 2, seria de esperar que fossem dar algum paralelismo com o Universo Cinematográfico da Marvel, mas isso será no LEGO Avengers 2 (se acabar por existir). É fácil cometer esta assunção visto que nos trailers as personagens aparecem com os fatos do UCM. Aqui a TT Games decidiu criar a sua própria narrativa, de modo a englobar todas as personagens que conseguia, dando continuidade ao primeiro título – LEGO Marvel Super Heroes.

Dando seguimento aos acontecimentos do primeiro jogo, em LEGO Marvel Super Heroes 2 o Kang, The Conqueror está a viajar entre diversas linhas temporais à procura de cidades icónicas para as unir num único lugar, ao qual ele chama de Chronopolis. Um pouco como o Collector gosta de fazer, mas com cidades e intemporalmente maléfico. Com isto iremos cruzar-nos com diferentes universos e heróis de outros tempos, e vamo-nos unir a eles de modo a tentar repor cada cidade no seu lugar, como por exemplo o Capitão América cowboy.

Aqui é o meu maior problema com o jogo. A campanha foi feita de modo a que tenhamos de ir a cada uma das cidades, uma a uma e executar uma série de tarefas (puzzles) de modo a conseguir corrigir o que o Kang fez. Por outras palavras, o jogo é uma série de mini-mapas que estão interligados por uma pequena premissa, neste caso a narrativa. Os puzzles são os típicos que podemos esperar deste tipo de jogos da LEGO, sendo que durante a campanha teremos personagens específicas para completar o nível, mas podemos sempre voltar em free roam para depois fazer puzzles que só conseguimos mais à frente. Embora tenha uma campanha banal, as lutas com os bosses gigantes são interessantes e divertidas.

O jogo também introduz o Super Hero Battle Mode, onde quatro jogadores podem juntar-se e combater em diversos modos de PVP.

O jogo tem uma boa longevidade e rejogabilidade, sendo fácil de pegar a qualquer momento e queimar um pouco de tempo a jogar, mas dificilmente será um jogo que crie algum impacto no jogador, como outros jogos da LEGO já conseguiram fazer. Além disso é capaz de ser dos jogos da LEGO com mais personagens e variedades de personagens, totalizando cerca de 200 personagens diferentes.

Em suma, pouco se pode dizer dos jogos da LEGO hoje em dia, pois a TT Games tem um formato que funciona o que a faz muito dependente de outros fatores, neste caso a narrativa. O jogo como um jogo da LEGO funciona perfeitamente bem, tem variedade de personagens e puzzles, é simples e fácil de entender, o humor vai aparecendo de vez em quando mas não tem uma narrativa que o jogador diga que foi interessante ou que se irá lembrar dela futuramente.

Também te pode interessar