Com a mudança de testemunho da Bungie para a 343 Industries nasceu Halo 4, uma série que já estava considerada como terminada pela Bungie, recebeu novos responsáveis que ficaram com a responsabilidade de colocar de pé esta série que já estava a distanciar a principal personagem do jogo. Master Chief, juntamente com Cortana estão novamente no grande plano da série passados cinco anos desde a sua ultima aparição em Halo 3.

Halo 4 passa-se quatro anos depois de Halo 3, com a mesma situação de Halo. Os Covenant estão a atacar a nave onde Chief se encontra em repouso, onde de seguida é acordado pela sua companheira de viagem Cortana e Chief volta à acção lembrando os bons velhos tempos. No desenvolver do combate a nave é puxada por uma força que leva os nossos dois personagens até um planeta novo e desconhecido. É neste planeta que se encontra os Forerunners, uma civilização tecnologicamente evoluída, os criadores do mundo de halo, são eles os responsáveis por praticamente toda a tecnologia e planetas existentes na universo de HaloChief e Cortana encurralados no planeta habitado por esta desenvolvida espécie,  terão que encontrar uma maneira de conseguir fugir. Ao mesmo tempo que vão descobrindo um pouco mais sobre esta espécie vão-se colocando numa situação que destaca Cortana no grande plano, visto ser ela a tomar as grandes decisões. Chief apenas deixa um voto de confiança sobre a sua mais preciosa IA, chegando a ir contra os seus superiores, que por sua vez também não o vêm com muito bons olhos.

[singlepic id=1356 w=610 h=343 float=]

O que vemos com bons olhos é o nível gráfico apresentado pelo jogo, os detalhes sobre os personagens está realmente fantástico  destacando-se os danos e detalhes na armadura de Master Chief. Feições dos humanos nos diálogos  assim como os nossos inimigos Covenantes e Forerunners, mereceram também um trabalho de modelação e textura fantásticos. Estes detalhes gráficos são mais notórios nas diversas cutscenes in-game, onde o foco e a aproximação sobre os diversos personagens é maior, sem já falar do fantástico video inicial que nos apresenta imagens surpreendentes geradas por CGI. Os cenários também não deixam de nos fascinar, com um bom trabalho de luz, com grandes paisagens, principalmente quando nos colocam a visualizar um vale enorme com um gigantesco monumento no centro, ou então quando nos deparamos com varias bases a planar no céu, são visões realmente bem conseguidas por parte da 343 Industries.

Para completar todo este esplendor, temos a banda sonora que ajuda também a criar um ambiente certo para as diversas situações. O som das armas que se se apresentam como mais uma das grandes notáveis evoluções em relação aos seus antecessores, dando realmente a sensação de poder de fogo e potência. Explosões ou sons gerados pelos Forerunners, e mesmo os grunhidos e falas dos já conhecidos Covenantes, marcam presença com uma boa qualidade.

[singlepic id=1355 w=610 h=343 float=]

No que toca à sua jogabilidade a 343 não arriscou muito, ou melhor, não alterou em praticamente nada a mecânica do jogo, apenas decidiu que não seria preciso uma habilidade para correr, sendo a primeira vez que o nosso espartano corre sem a necessidade de qualquer habilidade. Também acharam por bem retirar o sistema de vida, deparando-nos agora com a visão de dentro do capacete, apenas com a indicação do escudo da armadura. A mobilidade também se apresenta ligeiramente mais solta e rápida  mas se estas a contar entrar sempre para o meio do campo de batalha e conseguir limpar todos os inimigos podes esquecer. A IA dos inimigos esta mais defensiva e estes dispersam-se e escondem-se muito mais que nos anteriores jogos, havendo também a possibilidade de eles te conseguirem flanquear estando grande parte dos cenários desenhados para que isso seja possível. Com estas pequenas características a 343 Industries não inovou muito, mas conseguiu desenvolver um título um pouco mais táctico e desafiante que a generalidade dos seus antecessores que se focavam muito na quantidade de inimigos deixando de parte uma melhor inteligência artificial.

Mas a verdadeira inteligência artificial está no multiplayer, onde se pode testar as nossas habilidades com as de outros jogadores, e onde também se notam mexidas técnicas. A 343 Industries retirou os spawns das armas, sendo que estas agora aparecem de uma forma aleatória, disparadas a partir do céu em cápsulas. Este também é o método utilizado para os bónus das kills, onde podemos escolher um de três bónus, sendo estes deixados cair à nossa frente, sempre com a contrapartida de podermos ser roubados por um adversário, ou então também podermos ajudar um colega. Também novos modos de jogo foram adicionados, como o Regicide, onde teremos que ganhar 300 pontos, e onde o líder  o jogador com mais pontos vale mais pontos para os outros jogadores, sem contar que tem sempre a cabeça a prémio visto estar sempre assinalada a sua posição atrevas de um marcador no hud dos outros jogadores, ou o modo de team Dominion, onde o objetivo é as duas equipas conquistarem por mais tempo as bases, podendo estas serem protegidas por canhões, escudos e dando também acesso a tanques e naves.

[singlepic id=1354 w=610 h=343 float=]

No que toca às habilidades, existem três por onde escolher: invisibilidade, jetpack e clone. A habilidade em que se criava um escudo foi modificada, agora teremos mesmo um escudo à nossa frente e podemos movimentar-nos ao mesmo tempo, ao contrário do antigo que teríamos de ficar parados. Ficando assim um pouco desprotegidos depois de sair do estado de protecção. Contamos ainda com mais três novas habilidades, visão Forerunner, onde conseguimos ver se existe alguém numa área próxima de nós, algo como um radar visual que serve para ver através das paredes. Esta não é uma habilidade que dê jeito para o singleplayer, mas dará jeito para o multiplayer, um dispositivo robótico que nos dá apoio atacante, ficando a flutuar no ar e dando cobertura para os inimigos mais próximos ajudando também para nos retirar do centro de foco dos ataques. A terceira nova habilidade permite-nos avançar rapidamente em curtas distâncias numa espécie de velocidade da luz. Estas serão as principais novas opções de jogar, sem contar com a adição de novas armas e novos veículos, que também se apresentam com uma condução mais acessível e prática.

Com uma média de oito horas para terminar a campanha de Halo 4, este encontra-se com uma boa média em relação aos seus antecessores e a nosso ver será uma boa média para um titulo que foi renascido por um novo estúdio. Tendo em conta também o modo Spartan Ops, que não adiciona muito à experiência do jogo, colocando apenas à disposição cinco pequenos desafios, que não são de todo muito interessantes, onde teremos que matar um certo número de inimigos e destruir uma ou outra caixa. Tirando isso não deixem de ver o pequeno vídeo disponível no menu deste modo. Sublinhamos também que novos capítulos estão previstos sair.

Mais interessante e que certamente irá prolongar a presença do jogo nas nossas consolas é o modo multiplayer, com vários modos de jogo, para todos os gostos e feitios, em equipas ou em free-for-all, os oito modos disponíveis são no geral viciantes e desafiantes, contando também que será nestes que nos divertimos mais a ganhar pontos para evoluir o nosso espartano.

[singlepic id=1357 w=610 h=343 float=]

Transportando um grande peso e responsabilidade, a Microsoft confiou na 343 Industries para reviver a história em volta de Chief, com o objetivo de iniciar uma nova trilogia com o espartano mais famoso e desejado da série. Ao que apuramos a aposta no estúdio foi bem feita, estes iniciaram o programa de Cortana e acordaram o Master Chief de forma bastante convincente, apesar de não terem arriscado mais. Mantendo o estilo do jogo, melhoraram outros aspetos e trouxeram de novo uma boa campanha, com novidades e algum enredo, necessários para não fazer deste Halo mais um titulo da saga mas sim um dos melhores títulos. O foco em Cortana, uma visão mais humanista de Master Chief, excelente qualidade visual e de conteúdo faz deste título um dos melhores do ano.

Vídeo análise: [youtube id=”bXmIrpC2KUQ” width=”620″ height=”360″]