26 Set 2019
Xbox 360

Gears of War: Judgment

Epic com a colaboração da People Can Fly desenvolveram um novo Gears of War cuja personagem principal é Damon Baird juntamente com o seu esquadrão Kilo Squad, constituído por Augustus Cole, Garron Paduk e Sofia Hendrick, nos acontecimentos que decorreram catorze anos antes do primeiro título da série e logo a seguir ao evento que deu origem a toda esta confusão o Emergence Day.

[singlepic id=2582 w=328 float=left]A história começa com o jultamento dos Kilo Squad por parte de Ezra Loomis que não se importa com mais nada a não ser julgar o esquadrão por desobedecerem a ordens do próprio Ezra. Toda a acção é desenvolvida sobre os depoimentos que cada personagem do esquadrão efectua no momento que lhe é dado para se defender e explicar o seu ponto de vista de toda a situação decorrida. Com base nestas ideias a estrutura e progressão da história modificou-se um pouco, estando agora cada capitulo organizado de uma forma mais idêntica a desafios que mesmo em progressão do terreno apesar de isso também acontecer, mas de uma forma um pouco mais secundária.

Também é disponibilizada uma nova campanha denominada Aftermath, que foca os acontecimentos que decorreram em Gears of War 3 quando Damon Baird e Augustus Cole se separam de Marcus Fenix para reunirem algumas tropas. Este modo ajuda-nos a perceber os acontecimentos passados por Baird e Cole enquanto a história de Marcus seguia em Gears of War 3, e o quão importante foram eles para a história desta série de sucesso.

[singlepic id=2579 w=610 float=]

O nível visual do jogo está bastante idêntico aos seu antecessor, apresenta-se com bastante cor e com uma iluminação melhorada, mantendo acima de tudo o estilo que a série tem vindo a adquirir com cenários repletos de destruição e marcados pelas batalhas neles decorridos, não perdendo de todo o seu lado mais sombrio, que não se apresenta de uma forma tão constante mas tem os seus momentos presentes. O som também não é excepção dos anteriores, tirando o som de fundo que colocaram em quase todos os cenários que se torna um pouco irritante de tão repetitivo e desajustado que está. Ao contrário dos grunhidos e sons produzidos pelos diversos Locusts, principalmente os Tickers com os seu andar e os seus sons bastante característicos e “engraçados”.

[singlepic id=2583 w=328 float=right]A jogabilidade também levou alguns ajustes em relação a Gears of War 3, apesar de se poderem fazer praticamente as mesmas acções em Judgment só podemos ser portadores de duas armas e quatro granadas, sem contar com algumas das armas que se intitulam como heavy, que apenas podes ser utilizadas e não guardadas. Com isto algumas das acções anteriores foram alteradas como o mudar de arma e o lançar uma granada, mas nada que não nos habituemos rápido. Uma grande características que foi modificada neste título, que se nota muito mais nos modos multiplayer, é a maior mobilidade pelo cenário que nos permite descer grandes muros e atirarmo-nos de grandes alturas, algo que não era possível nos anteriores jogos da série, que nos definiam um caminho de interacção com o personagem.

Para além disso temos novas armas, no geral são muito idênticas às já utilizadas, mas com características um pouco diferentes, como o Tripwire Crossbow, um arco e flecha cuja flecha é uma espécie de mina, e o Booshka, um lança granadas cuja munição pode ser atirada para algum lado e só rebenta algum tempo depois ao contrário do Boomshot que lança uma granada flamejante que rebenta na primeira coisa que encontrar. Com estas novas adições temos também um modo diferente de percorrer a história, em que cada zona que estamos temos um desafio que podemos aceitar ou não e no final de cada um temos uma contagem das nossas proezas, tudo isto para ganhar as estrelas que foram criadas neste título para avaliar o nosso nível de espectáculo dado como para ir desbloqueando novos itens para personalizar o nosso personagem para o modo multiplayer.

[singlepic id=2581 w=610 float=]

E neste modo podemos ver mais diferenças em relação ao seu antecessor, com a adição de dois novos modos de jogo, o modo OverRun que nos leva a um confronto entre COG e Locust cujo objectivo é proteger um dispositivo que está a tapar um buraco dos Locust e como é óbvio o objectivo dos Locust é destruir esses dispositivos. À medida que os Locust vão conseguindo destruir esse dispositivo vão avançando no terreno para outro dispositivo até conseguirem destruir todos, ou até os COG conseguirem protege-lo num período de cinco minutos. É neste modo de jogo que estão incluídas as novas características das categorias individuais de cada personagem, existindo a de engenheiro, soldado, sentinela avençado e médico, cada um preparado com as suas próprias armas e características de suporte. O modo Survival é onde podemos juntar os nossos amigos e partir para um jogo OverRun contra o computador na qual teremos que vencer várias hordes enquanto protegemos o tal engenho.

[singlepic id=2580 w=328 float=left]A duração da história pode rondar as 7 horas, sem contar com cerca de duas horas que o episódio Aftermath durará, juntando às horas que se irá perder no multiplayer, que apesar de tudo se encontra mais pequeno a nível de escolha dos modos de jogo, existindo apenas quatro modos à escolha. Mesmo assim é certo que serão várias horas que iremos queimar nestes modos.

Resumindo tudo o que dissemos aqui, Gears of War: Judgment é um título que não irá desiludir os seu antecessores, apesar de algumas melhorias também equilibrou um pouco com alguns pontos mais fracos, no que toca ao desenvolvimento da acção do jogo, que por criativo e interessante visto do ponto em que se quiseram focar em pequenos excertos, como se as personagens nos tivessem mesmo a contar o que aconteceu aqui e ali, retiraram com isto um pouco de acção de exploração, mas tendo em conta apenas a história contada é bastante interessante e criativa, gráficamente melhoraram com a sua palete de cores e com um menor uso do blur excessivo em Gears of War 3 e com o multiplayer mais reduzido podem perder alguns pontos, no entanto não deixam de ser viciantes.  No final de contas aprendemos em Gears of War: Judgment que em tempos de guerra as armas devem sempre ser limpas, aconteça o que acontecer.

 

Related posts