Super Mario está de volta e melhor que nunca.

Super Mario Odyssey é o primeiro jogo a solo do nosso herói favorito na Nintendo Switch. O jogo é todo em 3D, assemelhando-se a títulos como Super Mario 64 e Super Mario Sunshine, com mapas enormes por explorar e centenas de conteúdos por descobrir em cada uma deles.

A premissa do jogo não varia do formato clássico, no entanto parece que o Bowser finalmente está a executar um plano mais consistente. Novamente o vilão raptou a Princess Peach, no entanto, desta vez ele pretende casar-se com ela usando vários artefactos que criará um laço inquebrável entre os dois. Começamos o jogo na aeronave do Bowser a tentar impedi-lo de levar a cabo o seu plano, mas Mario é derrotado e cai da mesma, aterrando na Bonneton, na Cap Kingdom.

É aqui que Mario conhece o Cappy, um fantasma em forma de chapéu que rapidamente se alia ao nosso herói quando se apercebe que ele também quer derrotar o Boswer. Isto porque na cabeça da Princess Peach estava Tiara (uma tiara chamada Tiara), a irmã de Cappy, que é um dos artefactos necessários para o plano do vilão.

A partir daqui partimos na nossa aventura para tentar salvar a princesa, com a ajuda do nosso novo aliado. Rapidamente descobrimos que o Bowser também arranjou um grupo novo de “amigos” para tentar impedir-nos de cumprir o nosso objetivo – os Broodals, que para além de estarem a ajuda-lo a planear o seu casamento, farão de tudo para impedir o Mario de intervir.

Ao longo da nossa aventura vamos acompanhar o duo maravilha por diferentes reinos completamente distintos entre eles, sempre em perseguição à aeronave do Bowser. Para isso iremos usar a nossa própria aeronave, curiosamente chamada de Odyssey. No entanto somos informados que a mesma necessita de Power Moons para funcionar e poder seguir a viagem. É aqui que iremos parar em diversas localidades, conhecendo a população local e atravessando uma série de desafios para apanhar mais Power Moons.

As Power Moons são obtidas completando desafios, encontrando segredos ou no decorrer da própria estória, sendo que o jogador estará sempre a tentar impedir o Bowser e os Broodals de apanharem as reliquias todas. Em cada mapa existe um grande numero delas para colecionar, no entanto o jogador nunca precisará de apanhar todas. O jogador terá também umas moedas específicas de cada mapa, para além das típicas moedas de ouro. As moedas servem para comprar fatos e colecionáveis que se encontram nas lojas, sendo que com as moedas roxas (as específicas de cada mapa) poderemos comprar fatos temáticos da região, colecionáveis e autocolantes para por na nossa Odyssey.

Uma boa maneira de ir registando a nossa aventura à medida que vamos jogando é com o Photo Mode. Claramente um ponto de interesse no jogo visto que somos apresentados a paisagens e momentos que o jogador terá todo o interesse em registar para mais à frente recordar. E sim, há dicas espalhadas pelos mapas, no qual o jogador terá de tirar uma fotografia para voltar atrás e rever os seus passos. Uma funcionalidade interessante, que dá uso ao botão próprio para tal, levando o jogador a voltar atrás no jogo.

No que toca ao gameplay, Super Mario Odyssey é dos, se não o melhor jogo de plataformas que poderão jogar atualmente. A fórmula mágica da Nintendo não desilude e temos um jogo fácil de pegar e jogar, com mecânicas super interessantes e novas à série. Como já mencionei, o Cappy irá acompanhar o Super Mario ao longo da sua aventura, mas servirá também como uma mecânica de jogo. A novidade mais marcante é a possibilidade de possuir inimigos com o Cappy, de modo a que tenhamos acesso a habilidades específicas para nos ajudar a progredir no jogo ou ganhar acesso a segredos. E sim, finalmente temos a oportunidade de aproveitar as habilidades de certos inimigos que nos têm atormentado ao longo dos anos na série Mario. Para além disso, também o podemos usar para derrotar inimigos, apanhar moedas ou usar para movimentos específicos. Isto faz com que o Cappy não seja apenas uma mecânica extra, mas sim um canivete suíço de jogabilidade nova para a série.

Como a Nintendo não é de se ficar, o jogo dá uso aos sensores de movimento dos Joy-Cons, sendo que quando começamos o jogo somos recomendados a jogar com os Joy-Cons separados. A série de movimentos que podemos fazer envolvem atirar o Cappy, sendo que alguns estão limitados apenas a movimentos com os comandos. Isto não impede o jogador de jogar normalmente em modo portátil ou em modo consola com o comando, apenas serve para aumentar a experiência de jogo para o jogador.

O jogo tem um modo a dois, sendo que podemos usar os dois Joy-Cons separadamente, estando um jogador a controlar o Mario e outro o Cappy. É uma opção interessante, mas não a melhor, sendo que o jogador que controla o Cappy, só terá algo interessante a fazer quando o outro precisar dele.

Para os fãs de longa data, preparem-se pois irão encontrar muitos detalhes e segredos espalhados pelo jogo fora, sendo que depois de acabarem o mesmo, poderão fazer backtracking para encontrar os colecionáveis e Power Moons em falta. Para nos ajudar, o Toad aparece sempre que completamos um Kingdom para podermos comprar (com moedas) dicas de onde estarão as Power Moons por descobrir.

Como extra poderão voltar a dar uso aos vossos Amiibos, desbloqueando alguns fatos ou usando-os para o mesmo propósito que o Toad, poupando-vos cinquenta moedas. Os que foram lançados da coleção do Super Mario Odyssey desbloquearão os fatos de casamento.

Em suma, Super Mario Odyssey entra no nosso coração sendo umas das melhores aventuras que o nosso herói com bigode já teve. O jogo apresenta uma gameplay sólida e bastante divertida, uma excelente variedade de níveis com muito conteúdo para explorar e colecionáveis para apanhar. O jogo também traz muitos tributos para os fãs encontrarem, mas o que vale mesmo a pena mencionar neste momento é que Super Mario Odyssey é mais uma prova que a Nintendo Switch apresenta a cada mês que passa um catálogo mais completo e com uma qualidade muito acima da média.

A única coisa que posso dizer depois de jogar Super Mario Odyssey é que se tiverem uma Nintendo Switch e este jogo não estiver no vosso lineup, estão a perder uma experiência sem comparação.