25 Ago 2018
PS4

Análise – Strikers Edge

Finalmente a espera acabou

Strikers Edge é um jogo produzido pela Fun Punch Games e foi o primeiro vencedor dos Prémios PlayStation em Portugal. O jogo esteve cerca dois anos em produção, passando por vários eventos nacionais e internacionais, conseguindo conquistar o interesse do público e dos media, arrecadando uma série de prémios.

Mas… no final de contas, o que é o Strikers Edge?

Bom, pondo em termos que todos consigamos perceber é um jogo do mata, com o intuito de matar. Temos ao nosso dispor oito personagens para escolher, cada uma delas com uma maneira única de se jogar e com as suas próprias habilidades. Cada uma delas é inspirada em guerreiros lendários, como por exemplo o Spartan ou a Valkyrie.

 

Todas as personagens apresentam um pixel art lindo, com animações fluídas, assim como os diferentes mapas. O jogo tem quatro mapas diferentes, cada um dele com elementos específicos para dificultar ou facilitar a vida aos jogadores, como por exemplo a Sacred Tree que tem obstáculos para o jogador se esconder e o Battleships que também tem obstáculos, mas o público pode potencialmente empurrar o jogador para a linha de fogo.

O jogo apresenta-nos um modo campanha com três dificuldades para dar uma certa introdução às personagens. A narrativa para cada um dá algum contexto para as lutas que iremos fazer, sendo que isso acaba por não fazer da campanha uma espécie de modo arcada. O único problema é que se quiserem repetir alguma campanha, serão submetidos aos mesmos combates.

Onde o jogo brilha é em PVP, e seja local ou pela internet o jogo irá dar momentos de cortar a respiração de tão intenso que os combates podem ser. O combate apresenta-nos mecânicas simples e fáceis de entender, mas irão precisar de muito treino para serem dominadas. O jogador pode lançar um ataque normal ou um carregado, sendo que o carregado irá dar uso às habilidades especiais de cada personagem, como por exemplo o Spartan que atira o seu escudo e rebate nas paredes e obstáculos para tentar apanhar oponentes desprevenidos, ou o gancho do Barbarian que prende o oponente deixando-o exposto a vários tipos de ataques. Mas para evitar que só usem ataques carregados, quando o estão a carregar a vossa personagem irá mover-se mais lentamente e não poderá bloquear nem desviar-se, e se por acaso levarem dano terão de começar de novo, o que faz com que o jogador tenha de pensar bem se é a altura ideal para usar a habilidade ou não.

Falando em bloquear, sim, podemos bloquear ataques, mas estamos limitados a três cargas. O bloquear envolve algum timing e nervos de aço pois se os fizermos demasiado cedo ou demasiado tarde, vamos levar com o ataque à mesma. Se porventura conseguirem bloquear irão ativar uma habilidade passiva da vossa personagem, havendo três tipos de passivas – recuperação, ataque e defesa. Uma personagem que tenha a recuperação irá ganhar um pouco de vida de volta, ataque faz com que a mesma tenha um pequeno boost no dano e defesa o mesmo, mas com a resistência da personagem.

Se por acaso gastarem as três cargas, não se preocupem, pois elas vão voltando à medida que o combate dura, mas até lá poderão utilizar a habilidade para se desviarem. Este habilidade tem de ser conjugada com o vosso ataque, porque ambos consomem stamina, e isto leva a que até o jogador mais agressivo faça uma pausa para tentar recompor-se um pouco.

Quando ao modo online, de momento os servidores aparentam ter uma boa coneção, mas em certos casos poderão encontrar-se com jogadores com piores coneções e isso faz com que a personagem deles esteja sempre a saltar de um lado para o outro, o que pode dificultar algumas jogadas, principalmente o timing para bloquear ataques.

Se procuram algo mais caótico podem experimentar o modo 2v2, que torna as coisas ainda mais tensas, podendo levar a pessoa mais calma a extremos. O modo funciona à base de vidas, tendo cada equipa quatro que derrotar qualquer um dos inimigos quatro vezes para ganhar.

O sound design também está deveras interessante, principalmente a voz do apresentador que muitas vezes nos faz mesmo sentir numa arena a lutar pela vida.

Em suma, Strikers Edge é um jogo excelente, muito divertido e cheio de momentos de tensão, sendo, possivelmente, um dos melhores jogos para desafiar amigos. É um jogo que a equipa do Foxbyte tem acompanhado desde o início, ao mesmo tempo que temos experimentado o jogo nas suas diferentes fases de produção e podemos afirmar que estamos completamente satisfeitos com o resultado final. O jogo não complica, matém a sua premissa simples e executa o seu propósito como um dodgebrawler na perfeição. O jogo não apresenta muito conteúdo a solo, sendo que a sua longevidade virá inteiramente da sua experiência online ou em local play e do tempo que o jogador levará a dominar por completo uma personagem.

Strikers Edge estará disponível a 30 de Janeiro de 2018 para a PlayStation 4 e PC.

10/10 – Recomendado Foxbyte

Versão de análise – PlayStation 4.

10.0
Score

Recomendado Foxbyte
10

Final Verdict

Strikers Edge é um jogo excelente, muito divertido e cheio de momentos de tensão, sendo, possivelmente, um dos melhores jogos para desafiar amigos.

Também te pode interessar