Aloy está de volta, desta vez nas Frozen Wilds.

Ainda nem um ano passou e a Guerrilla Games lança mais uma razão para voltarmos ao Horizon Zero Dawn.

Que segredos nos esperam nas montanhas?

Em Horizon Zero Dawn: The Frozen Wilds acompanhamos a Aloy num nova aventura, que não é bem nova, é mais uma aventura secundária à narrativa. Nesta expansão vamos até ao The Cut, uma zona ao pé do território da tribo dos Banuk. Os Banuk são uma tribo de caçadores lideradas pelo seu chieftain, com a orientação de shamans que comunicam com os espíritos dos Old Ones.

A narrativa vai levar-nos pelas terras geladas do norte para descobrir os seus mistérios e tentarmos desvendar a causa dos novos perigos que têm surgido. Um desses perigos é uma entidade, à qual a tribo chama de Daemon, que tem lançado o caos tornando as máquinas mais difíceis de matar e curando as mesmas. A Aloy vai conhecer uma série de personagens ao longo do seu percurso, nomeadamente a Ourea e Aratak, irmãos, shamã e chieftain dos Banuk, respetivamente. Estes irão ajudar a narrativa a desenvolver, no entanto teremos uma série de missões secundárias para explorar a região. Com isto a nossa protagonista também vai tentar descobrir alguns segredos sobre o Sylens e o seu passado.

Aratak

Passando às novidades que a expansão traz, para começar temos o level cap que aumentou para 60, permitindo ao jogador ganhar novos pontos para distribuir na nova nos talentos de Traveler. Estes talentos servem para o jogador ter habilidades na sua mount e podem ser utilizados no jogo normal. A expansão apresenta novas animações, visto que passamos mais tempo na neve, a Aloy tem animações próprias para o seu movimento parecer mais atrapalhado, assim como uma série de animações novas referentes ao combate.

Muito para explorar

Falando em combate, temos também armas novas e modificações às armas originais do jogo. As armas podem ser arcos novos com combinações de elementos novos, ou conceitos completamente novos ao jogo, como um lança chamas feito com a bolsa de um Bellowback. As melhores armas terão de ser compradas com Bluegleam, uma peça monetária que é rara de encontrar e encontrada a crescer nas carcaças de monstros mortos no The Cut.

Estas armas terão bastante uso para os novos perigos, nomeadamente os três tipos de máquinas novos, assim como as que estão a ser controladas pelo Daemon.

Podemos ser amigos sr. Scorcher?

Para quem está à procura de algo que faça render o seu dinheiro, a expansão custa 19.99€ mas é capaz de vos fornecer cerca de 15 horas adicionais de gameplay. The Frozen Wilds tem um mapa relativamente grande, várias sidequests e uma narrativa paralela à da campanha que irá complementar o lore do jogo.

Pessoalmente, acho que The Frozen Wilds é daquelas expansões que fazem “mal” aos jogadores, sendo que desbloqueiam uma série de informação nova sobre a estória geral do jogo, potenciando a ideia para futuras continuações. O que me deixa extremamente ansioso para jogar mais e saber mais, visto que explorei bastante este mundo, lendo e ouvindo as mensagens que haviam espalhadas pelo mesmo

Um mapa cheio de coisas para explorar

Para quem jogou Horizon Zero Dawn e se deixou levar pelo mesmo, The Frozen Wilds é a aposta perfeita para terem mais tempo para conhecer a Aloy e os acontecimentos que levaram a terra a ficar como está.

Caso queiram esperar, a Guerrilla Games vai lançar a Complete Edition no dia 6 de Dezembro, o que irá incluir o jogo original, juntamente com todos os bonus deluxe e a expansão The Frozen Wilds.

6 de Dezembro… anotaram?

Ah e com uma expansão na neve, claro que teríamos um emote de anjo na neve para o photo mode.