Prontos para lutar até à morte?

A Netherrealm Studios e Warner Bros. Entertainment preparam-se para lançar no próximo mês o Mortal Kombat X. Será a estreia da série na nova geração de consolas, trazendo novos visuais, novas personagens e muito, muito mais sangue e corpos mutilados.

Como qualquer outro jogo de luta, o que se espera de um novo título é novas personagens, novos movimentos, mas acima de tudo um “wow factor” que faça o jogo destacar-se do título anterior. Neste caso, vamos contar com novas personagens para o universo de Mortal Kombat, como é o caso de Cassie Cage, aprendiz de Raiden e filha de Sonya Blade e Johnny Cage. D’vorah, uma guerreira inspirada em vários tipos de insetos. Kotal Kahn, deus da guerra azteca. Ferra e Torr, uma dupla de guerreiros que irá garantir um combate variado, e muitas outras personagens. Ainda não foram anunciadas todas as personagens, mas podemos contar com o regresso de Raiden, Scorpion, Sub-zero, Ermac, Kung Lao e Reptile. Foram também reveladas alguns personagens relevantes para a campanha, contudo ainda não se sabe se vão ser jogáveis ou apenas para dar seguimento à mesma, como é o caso de Jacqueline Briggs, Takashi Takeda, Kung Jin, a filha de Jax e o filho de Kenshi.

A campanha de Mortal Kombat X decorre 25 anos após os eventos de Mortal Kombat (2011), trazendo uma nova geração de personagens que irá descobrir que Outworld não é o seu único problema. Iremos defrontar vários inimigos que se mostram convictos em dominar todos os reinos.

O elemento que define um bom jogo de luta de um mau, é sem dúvida a fluidez do combate e a complexidade dos combos das personagens. Mortal Kombat X vai buscar inspiração ao seu antecessor da PlayStation 2, Mortal Kombat: Armageddon. Em Mortal Kombat: Armageddon, o jogador podia trocar entre estilos de luta a meio do combate, e, embora tornasse o combate mais dinâmico, era mais confuso para o jogador conseguir dominar a sua personagem favorita. Foi aí que a Netherrealm Studios decidiu melhorar esse conceito, fazendo a escolha do estilo de luta antes do combate.

O jogador agora tem três estilos de luta para cada personagem, sendo uma novidade que é tão interessante como é útil. Isto porque permite ao jogador escolher e dominar um estilo de luta com a sua personagem favorita, tendo a opção de outras variantes para combates específicos, sem ter de recorrer a uma segunda personagem. Reparamos nisto, em demasia, principalmente em torneios de jogos de luta, quando os jogadores têm de recorrer a outras personagens para equilibrar o seu jogo. Em Mortal Kombat X este factor pode deixar de existir a partir do momento em que os jogadores dominem os três estilos de luta da sua personagem, de modo a poder dar resposta a qualquer desafio que lhe seja imposto. Cada estilo é representado com uma variante ao fato da personagem, de modo a que seja facilmente identificável.

O que dá o “gosto” à série Mortal Kombat é a violência e o detalhe da mesma, que é dada às lutas. De modo a tornar os combates mais únicos, o estúdio fez com que cada personagem tenha uma introdução diferente consoante o seu inimigo, dando um aspecto mais rival aos lutadores. Os X-rays estão de volta para nos mostrar a intensidade dos golpes, os faltalities, como sempre, estão presentes e cada vez mais sangrentos. Durante a Gamescom 2014, na apresentação da Warner Bros., tivemos a oportunidade de falar com Derek Kirtzic, um dos designers do jogo, acerca dos fatalities e o que o estúdio estava a fazer para os tornar mais únicos. Curiosamente a resposta foi que o estúdio teve imensas ideias para fatalities, tendo de riscar alguns da lista por não poderem por mais por cada personagem e noutros casos por serem excessivamente violentos. Os brutalities estão de volta, para trazer um final mais fluido aos combates. Para os mais desentendidos, os brutalities são ataques especiais que funcionam de forma semelhante aos fatalities, a diferença sendo que não temos de passar pelo momento “Finish Him”.

Para além de personagens, podemos também contar novas arenas, onde o estúdio se inspirou no seu jogo de 2013, Injustice: Gods Among Us. Os cenários são animados, com imensas ações a decorrerem em plano de fundo, havendo algumas que o jogador pode interagir. Estes elementos podem ter uma vertente ofensiva ou defensiva. Os ofensivos encontram-se mais próximos do centro do cenário e os defensivos mais próximos dos cantos. Do que pudemos jogar, sentimos os combates muito mais dinâmicos, visto que era mais difícil sermos encurralados a um canto, tanto pelas ajudas externas, assim como as combinações das personagens. De salientar o detalhe que a Netherrealm Studios teve com o jogo a nível de efeitos sonoros, como é o caso do impacto dos golpes em materiais diferentes.

Em suma, Mortal Kombat X entra a pés juntos na nova geração mostrando-se um jogo de luta cheio de variedade, uma leque de personagens novas, novos visuais, novos poderes e muito sangue, ossos partidos e corpos mutilados. Se essa for a vossa onda, sem dúvida que Mortal Kombat X será um dos jogos deste ano. Mortal Kombat X estará disponível para a PlayStation 4 e Xbox One, tendo versões para as consolas de geração anterior, PlayStation 3 e Xbox 360, e PC a serem produzidas pela High Voltage Software. Quem pre-reservar o jogo terá direito ao Goro como personagem jogável.

Who’s Next?