Será desta que a BigBen Interactive consegue destacar-se da concorrência?

Desde os primeiros jogos da era ‘Colin McRae’ que os fãs, deste desporto automóvel cujo cronómetro é o mais importante, sentem saudades de um verdadeiro jogo de Rally. Podemos ainda especular sobre qual o melhor jogo de Rally de todos os tempos mas a resposta recairá sempre, pelo menos pelos verdadeiros apreciadores de simuladores, no já velhinho Richard Burns Rally.

Detentora da licença do Campeonato do Mundo de Rally’s, a Milestone, através do estúdio BigBen, parece determinada a tentar todos os anos oferecer algo de novo com o jogo WRC, no entanto acaba sempre por falhar o objectivo de oferecer uma experiência de topo no produto final.

Nesta nova versão, acompanhando também a enorme e rápida ascensão de um novo Campeão do Mundo de Rally’s na vida real, o estúdio continua a focar-se na autenticidade que a licença lhe permite, colocando ao dispor dos jogadores as mais importantes características reais do campeonato de 2013, incluindo os carros, pilotos e Países por onde passa a caravana do WRC.
Apesar de todos os 13 países do campeonato estarem presentes, apenas podemos aceder a 6 etapas em cada um deles e apesar dessas etapas contarem com nomes reais, não representam na realidade os locais reias do evento nem a extensão aproximada de uma verdadeira especial de Rally.

[singlepic id=5373 w=620 h=340 float=center]

Através do modo Carreira o jogo coloca-nos na pele de um jovem piloto em ascensão com o objectivo de se tornar o campeão do Mundo da modalidade. O Campeonato presente no jogo oferece uma experiência baseada na realidade, com a possibilidade de escolha do nosso piloto, co-piloto e ainda o nosso Director, apesar de nenhuma destas escolhas influenciar em nada o nosso progresso pelo jogo.
O progresso no modo carreira em WRC 4 é feito na fase inicial, quando ainda somos um piloto da classe júnior, de modo mais rápido que nos jogos anteriores. Em pouco tempo o jogador vai estar a correr na classe WRC podendo completar cada um dos 13 Rally’s e chegando a Nº1 Mundial.
Apesar da premissa deste modo, presente na maioria dos jogos automobilísticos, o jogo falha em prender o jogador pois o progresso é feito sem grande motivação devido aos pobres menus e a já habitual leitura de mensagens enviadas pelo nosso Director…numa fórmula já gasta por tantos jogos do género.

Apesar de tentar oferecer uma experiência mais focada na vertente simuladora na realidade o jogo acaba por ser bastante Arcade. É possível antes de cada prova afinar algumas características do carro: Suspensão, Transmissão e Carroçaria; no entanto nada motiva o jogador a faze-lo pois é perfeitamente possível superar todas as dificuldades das provas sem nunca mexer na afinação do carro. É também relativamente fácil, após algum tempo com o jogo, conseguir fazer rapidamente as curvas mais traiçoeiras e ganchos com o estilo a que a série Dirt já nos habituou.
WRC 4 suporta o uso de volantes e só quem os usa vai notar diferença no controlo do carro relativamente ás edições anteriores, possibilitando o uso dos 900º e caixas sequenciais em H.

[singlepic id=5374 w=620 h=340 float=center]

Do lado técnico, o jogo apresenta alguns efeitos visuais interessantes com um enorme progresso na iluminação relativamente ao jogo anteriro, no entanto os cenários algo despidos e o ambiente seu  geral deixam a desejar. O Som dos carros varia entre o Razoável de alguns modelos e o menos Bom de outros, mas nunca chega a ser Bom o suficiente para proporcionar a adrenalina que os fãs deste desporto reconhecem.
O nosso co-piloto também é muito simplista na informação dada pelas notas e a Musica que acompanha os Menus de jogo é repetida vezes sem conta.

Está presente um modo Multijogador Online que se baseia no mesmo princípio do Rally, colocando os jogadores em desafios contra o tempo sem nunca correrem directamente contra outros carros. O mesmo se passa neste modo jogando localmente, onde os dois jogadores conduzem por turnos ganhando o mais rápido a finalizar o percurso.

A vantagem de WRC 4 perante outros jogos e também o seu ponto mais forte é a licença do WRC. É o jogo que de uma maneira básica agradará os fãs deste desporto e que a médio prazo acaba por cativar o jogador com a sua jogabilidade. Está mais próximo da simulação que os jogos da Codemasters mas ainda assim é Arcade quanto baste e acessível a qualquer jogador, no entanto falta-lhe a adrenalina…

[display_label style=positivo]Pontos positivos[/display_label]

  • Jogabilidade
  • Licença WRC

[display_label style=negativo]Pontos negativos[/display_label]

  • Componente técnica
  • Alguns erros na física dos carros
  • Simplicidade na apresentação do jogo

[display_label style=plataforma]Analisado na PlayStation 3 com uma cópia cedida pela Namco Bandai[/display_label]