26 Mar 2020
PC e Mac

Análise: Saints Row IV

O Império de Zin invadiu a Terra e aprisionou os melhores e mais brilhantes seres do planeta, incluindo obviamente os The Third Street Saints.

É com esta agitação que que começamos a história de Saint’s Row IV, numa conferência a casa branca é invadida pelo Chefe Supremo do Império Zin, Zinyak. Ele e os seus soldados capturam alguns dos membros do Conselho do Boss assim como o Boss, que mesmo combatendo muito bem contra esta ameaça é capturado. O Boss é colocado numa dimensão paralela, na qual terá como objectivo controlar todos os dispositivos que controlam aquela cidade virtual de Stilwater.

[singlepic id=4186 w=328 float=left]Kinzie Kensington será a principal ajudante do Boss, a que estará em constante contacto com ele, e o irá ajudar a ultrapassar todos os desafios e a conhecer melhor o mundo digital no qual foi inserido e do qual desconhece o seu real funcionamento, e é com a ajuda de Kinzie que vamos ficar a conhecer os grandes truques desta cidade digital onde o hack é uma boa maneira de ganhar poderes, sair e entrar desta realidade virtual e o mais rebelde de todos, roubar as famosas lojas de armas, roupa, tatuagens e de customização de carros.

Andar pelas ruas de carro ou de qualquer outro veículo, depois de adquirirmos os nossos irreais poderes, é uma desnecessidade, a não quer que queiramos fazer a questão de andar neste ou naquele carro, e para fazer uma viagem mais normal. Caso a ideia seja andar em frente e não ter problemas com prédios no meio do caminho entre outras coisas podemos usar os nossos principais e primeiros poderes que recebemos, o super salto e o a super velocidade, que como as descrições dizem é a característica de saltar bastante alto, assim como ir subindo prédios de salto em salto, e o de correr bastante rápido, que com as suas evoluções poderá ser também usado para subir paredes.

[singlepic id=4184 w=610 float=]

Tirando as musicas os diálogos entre os diversos personagens do jogo são a outra grande forma de entretenimento e diversão que nos são colocadas à frente dos ouvidos e nós só temos que os apreciar e rir-nos com os que nos é constantemente apresentado. As conversas com trocadilhos que nos levam para os seus temas de sexualidade e sarcasmo, fazem por completo toda a história, que já por si é uma mistura confusa de cliché com originalidade.

Apesar de muito idênticos a experiência que temos com Saints Row IV é completamente diferente à que tivemos com Saints Row: The Third, a história é muito mais intensa e divertida, com vários desafios diferentes, mesmo terminando quase sempre da mesma maneira, a nossa vitória, e consequentemente a luta contra um Warden, uma criaturas mais poderosas que os outros alienígenas, as mesmas que nos vão dando alguns dos poderes que iremos adquirir nesta aventura. Para os derrotar teremos primeiro que lhes retirar o escudo que eles possuem à sua volta, com o qual não sofrem qualquer dano de armas, mas depois de o retirarmos com o nosso poder de congelamento, o que demora um espaço de tempo de 1 a 2 segundos a voltar a aparecer, ele já sofre danos. Esta tarefa não é uma missão fácil, mas é principalmente de perícia e paciência.

[singlepic id=4187 w=328 float=right]Tendo em conta todas as missões principais, que passam para missões secundárias e depois todos os desafios da missões secundárias este título dá-nos um prazer de várias horas de jogo, que se prolongam com a caça aos clusters, que se encontram espalhados por toda a cidade e nos dão pontos para evoluirmos os nossos poderes. A cidade é enorme e existem mesmo muitas missões secundárias para serem completadas, e nas quais se recebem classificações de medalhas, estando as metas definidas para elas.

A jogabilidade foi uma das que recebeu algumas alterações visto que agora existem poderes agregados à nossa personagem, mas de resto praticamente tudo se mantém na mesma linha do anterior jogo da série, com boas mecânicas de movimentação e facilmente adaptáveis a qualquer jogador. Com esta adição de poderes a diversão aumentou, mas também retiraram a necessidade de se procurar por um carro para roubar e até mesmo coleccionar qualquer um deles, visto que não se sente necessidade alguma de conduzirmos um carro ou uma mota se temos um poder de super corrida e super saltos e planar. Já não precisamos de contornar edifícios, passamos por cima e poupamos tempo. Mas é claro que podemos fazer questão de coleccionar carros e motas na nossa garagem que continua a existir, assim como as lojas de customização.

[singlepic id=4185 w=610 float=]

Como já vem sido habitual nos títulos da série este não foge à regra e o ponto forte do jogo e o seu lado divertido e sarcástico, onde as cenas de simulação de nudismo são uma das cenas que mais caracterizam esta série. Da história divertida, às missões desafiantes e divertidas ao mundo no qual se podem também fazer coisas muito divertidas, todo o jogo está envolvido em diversão, sento esta diversão envolvida também em algumas características de franquias bem conhecidas, o que torna Saints Row IV num título completamente diferente e único. Apesar de este título ter muitas coisas boas também conseguimos notar que existem pontos maus, como as semelhanças com o seu antecessor, que mostram pouco trabalho em termos de inovação da equipa de desenvolvimento, o que não estraga a diversão mas que nos deixa a pensar se este é um novo título ou se é uma expansão de Saints Row: The Third.

Versão testada: Xbox 360

Related posts