28 Set 2019
PS4

Análise – Murdered: Soul Suspect

A Airtight Games colocou as mãos à obra e desenvolveu o Murdered: Soul Suspect, a Square Enix por sua vez é a responsável por distribuir o título, que nos coloca na pele de um detective cujo principal objectivo dele é desvendar o seu assassino, enquanto vagueia pelo mundo paralelo entre o mundo real e o mundo do céu/inferno. Basicamente encontramo-nos no mundo em que os espíritos vagueia enquanto não resolvem os seus problemas na Terra. É nesta fase em que iniciamos o jogo, cujo seu futuro não é tão promissor, mas vamos então saber o porquê.

Começando pelos gráficos de Murdered: Soul Suspect, estes não se encontram num nível nada alto, podemos dizer que se encontram num patamar de mediano fraco, nas consolas da actual geração (Xbox 360/PS3), sendo que nas da nova geração (PS4/Xbox One) e no PC já se encontram melhores mas deixam passar a ideia de que são gráficos actuais de não de uma nova geração. Um dos grandes problemas a nível gráfico são as texturas, que não se encontram com um detalhe muito acentuado, e em situações de aproximação da câmara estes apresentam-se muito borrados e sem grande qualidade. Tendo em conta que as personagens foram os mais privilegiados neste campo, podemos dizer que não se encontram com um nível elevado no que toca aos seus modelos e às suas texturas.

MurderedSoulSuspectQuando vemos o nosso corpo deitado e nós a olhar para ele só pode significar que estamos mortos ou a ver-nos ao espelho.

Quando pensamos em gráficos medianos pensamos que pelo menos teremos um bom desempenho, mas nem nisso o jogo se consegue safar. Existem demasiadas quebras de frame, na maioria dos casos quando entramos em algum lugar novo, ou saímos de uma conversa em que a base era um vídeo (cutscene), o jogo tende em fazer este tipo de paragens. É irritante estar constantemente a ter quebras, um problema técnico que também não se encontra nas versões next-gen e PC. No entanto os cenários estão bem construídos, a junção dos dois mundos dá uma sensação mais sombria ao videojogo e como não existimos para o mundo real sempre nos vamos distraindo a explorá-lo, atravessando paredes e a interagir com os demais elementos, pessoas e animais.

Estas interações poderem ser importante ou não para o decorrer da história, muitas (a grande parte) das pessoas que estão espalhadas pelos cenários não nos dão grande interesse, a não ser que queiramos saber o que é que elas estão a pensar, mas não será algo que nos trará grande felicidade. Ao contrário de outras que nos irão ajudar a continuar com a nossa investigação, estas sim valerão a pena possuir. Para além das pessoas conseguimos também interagir com alguns objetos, como telefones; televisões; impressoras; entre outros, e com gatos, para conseguirmos completar alguns dos objectivos que o jogo nos traça, e ambos serão uma ajuda necessária para avançarmos em algumas dessas situações. Os objetos são mais usados para distração enquanto que os gatos são usados para chegar a um determinado local que seria impossível para nós lá chegar, devido a sermos uma alma e não conseguirmos interagir com os objectos do mundo real.

Murdered Soul SuspectO ponto positivo em sermos um fantasma é que não nos aleijamos nas esquinas dos móveis.

Os ambientes sonoros superam os gráficos, apesar de não estarem a 100% no que toca a diálogos, sendo que alguns não encaixam com o seguimento da ação, quando existe opções de escolha de perguntas, assim como algumas falas muito repetidas e outras mal inseridas, os diálogos são a base principal do título e conseguem desenvolver bem o seu trabalho de nos envolver na história, tendo em conta também que o próprio jogo as usa para nos ajudar a desvendar uma pista ou outra.

A jogabilidade de Murdered: Soul Suspect é bastante simples, não tem mesmo nada que saber. Na grande parte do jogo o que temos que fazer é procurar coisas, revela-las com o nosso poder sobrenatural e coleta-las. Não vamos ser assim tão simplistas, a exploração dos cenários é a grande função da nossa jogabilidade, mas depois disto também temos que pensar quais as pistas encontradas serão necessárias para a resolução do problema em cima da mesa nas várias investigações. Contudo não existe nenhum sistema de penalização, nem nenhum vantagem que nos faça entusiasmar em acertas na resposta certa à primeira, as respostas aos problemas são avaliadas com três distintivos, estes vão-se apagando caso erremos a resposta ao problema, mas mesmo que erremos 3 ou mais nada nos acontece, apenas somos avaliados com 1 distintivo e mais nada.

Murdered Soul SuspectAs crianças gostam muito de fazer rabiscos pelas paredes e depois os adultos é que têm que limpar.

Para além de apenas explorações e interagir as pessoas e os objectos, também podemos possuir gatos, estes foi o animal escolhido pelos produtores para nos ajudarem na nossa caminhada, apesar de ser divertido controlarmos um gato, e evidentemente, a sua jogabilidade não é muito fluída e as suas animações também não. Em algumas ocasiões não são executadas as ações que deveriam, tendo que ficar nós ali a tentar algumas vezes para que o jogo detete a nossa posição no cenário para nos dar luz verde para avançar, e a nível de animações, este não apresenta muito polimento, não interagindo com o cenário de uma forma natural, mas sim mecanizada. Uma das poucas coisas, se não a única ação que nos dá a sensação de que somos nós que mandamos é quando atravessamos as paredes, apesar de termos que passar somente em paredes preparadas para isso, como podemos compreender, estas ficam com uma marca da nossa silhueta no local onde passámos, assim como deixamos uma marca se apenas se tocarmos ligeiramente com o corpo, marcas essas deixadas pela nossa aura.

É na aura de almas que já partiram que nos podemos esconder dos demónios que de vez em quando se lembram de marcar presença em alguns cenários, para depois os surpreender por trás e os enviar de volta para o inferno. Esta foi a forma encontrada pelos produtores do jogo para nos dar alguma ação no título, assim como usar os vários buracos, feitos pelos demónios que ligam o inferno à terra, para nos impedir de avançar pelo cenário, ou pelo menos para nos dificultar um pouco a tarefa. Mas entre outras ideias até esta parece ter sido adicionada e esquecida ou pelo menos apresenta pouco fundamento na progressão da história.

Murdered Soul SuspectAnalisando o estado da sala, veio cá desarrumar os móveis e partir a janela.

Vamos então ao melhor deste jogo, a história. Tendo em conta o estilo do jogo, Thriller de exploração, as características fundamentais para agarrar o jogador estão lá, suspense, crime, sensações pessoais e intra-pessoais. Vamos começar pelo inicio da história que nos é contada, Ronan O’Connor foi um rapaz que cresceu na rua e por isso teve que se tornar num homem forte para sobreviver a esse mundo, enquanto crescia era um rebelde mas depois acabou por se formar como detetive, e é durante essa fase que ele perde a sua esposa Julia, e então parte em busca do assassino da sua mulher, sem qualquer tipo de apoio dos colegas O’Conner parte numa investigação por conta própria, até que chega ao rasto do possível assassino da sua mulher, mas é na altura em que o tenta deter que também ele é assassinado, 7 tiros no peito com a própria arma, e cujas marcas o acompanham ao longo da sua caminhada enquanto alma penada.

Para além das ações da história principal, podemos também perder um pouco de tempo a ajudar algumas das almas que necessitam dos nossos dotes de investigador para abandonarem este mundo paralelo, apesar de algumas da almas se sentirem satisfeitas por permanecer nele. Estas missões secundárias são mais uma das acções que poderemos executar, mas que não nos trazem qualquer tipo de vantagem para a história ou para o nosso personagem, apenas são usadas como ações para aumentar a longevidade do título. Longevidade essa que poderá subir também se nos dermos ao trabalho de procurar os diversos objectos escondidos em cada cenário, objectos esses que nos dão acesso a um pequeno video sobre um determinado personagem.

Murdered Soul SuspectCuidado com o hálito, pois ele fará com com a nossa alma se desintegre.

Assim sendo concluímos que Murdered: Soul Suspect é mais um título que se junta à lista de títulos que têm boas ideias mas não as souberam organizar e desenvolver de forma correta. Temos no título uma boa história, mas com elementos que nos fazem sair mentalmente um pouco do objectivo final, mas com um desenvolvimento técnico fraco, com quebras, interações mal feitas, animações demasiado mecânicas. Este é daqueles títulos que poderá agradar a alguns jogadores, que se agarrem mais à história e conteúdo do jogo, e desagradar mais aos que procuram um trabalho tecnicamente bem desenvolvido. O inicio do jogo é envolvente, mas à medida que vamos avançando vamos tendo a noção de que estamos a fazer sempre o mesmo, o nível de diversidade é pouco, mas a ligação ao enredo é grande. No entanto para resolver algum dos problemas técnicos do jogo é aconselhável uma versão das novas consolas (PS4, Xbox One) ou PC, cujos não se notam tanto.

Pontos Positivos:

+ Enredo

Pontos Negativos:

– Quebras de Frame

– Sem beneficios/prejuizos nas ações

– Linear

Versão testada: Xbox 360.

Related posts