Phineas and Ferb estão de volta para mais uma aventura, e desta vez a Disney decidiu traze-la exclusivamente para a portátil da Sony, a PS Vita.

O jogo é Phineas and Ferb: Day of Doofenshmirtz, e neste jogo temos a tarefa de impedir o Dr. Doofenshmirtz de destruír a cidade de Danville. Tarefa essa que não será nada fácil pois este cientista maluco decidiu criar um raio laser que dá vida a electrodomésticos e juntou-os para criar um exército de robôs ao seu serviço. Nesta aventura teremos níveis repletos de acção, puzzles, maquinas de lavar a roupa, microondas e ornitorrincos dentro de naves a disparar contra mesas de flippers. Sim, tudo é possível neste jogo, porque a Disney diz que quer, pode e manda.

phineas and ferb

Neste jogo contamos com Phineas, pequeno e ágil, com o poder de usar um helicóptero escondido na sua mochila (apenas se apanharmos o power-up, que só dura dois saltos, se tanto). Ferb, com mais resistência física que Phineas e cujo poder é…empurrar blocos? E Perry, com o poder de ser um ornitorrinco de cor estranha com um chapéu de gangster dos anos 30.

Falando agora no arsenal, as armas são, na minha opinião, o ponto alto do jogo com uma grande variedade. Temos pistolas de bolas de ténis, basketball, pistolas de água para apagar fogos que bloqueiam caminhos no jogo, pistolas de fogo que derretem gelo, etc. Podemos também comprar muito mais tipos de “balas” para essas pistolas no menu da loja à medida que formos avançando na história e esses power-ups são desbloqueados.

phineas and ferb

O design do jogo é feito sob a formula de um 3D platformer com uma pequena secção de Shoot ‘em Up básico para desenjoar um pouco. A acção de jogo é competente e cativante, fazendo contraste com o level design, que peca neste título.

phineas and ferb

Phineas and Ferb: Day of Doofenshmirtz é repartido por 6 capítulos, cada um com 6 níveis que variam entre platformers e shoot ‘em up, dando também lugar aos típicos níveis de bosses que, ou aparecem a meio de cada capítulo, ou no final. A originalidade dos mesmos é muito pouco inspiradora e os modelos e texturas apesar de infantis e coloridos (a imitar um pouco jogos como Family Guy), conjugando com o tamanho que alguns níveis têm, acabam por ser uma experiência digna de um valente bocejo de tédio. Os puzzles perdem todo seu brilho de tão chatos e simples (nem sei porque lhes chamamos de puzzles), ficando na maioria dos casos ao serviço do Ferb, por ser o único que consegue empurrar caixas pesadas. Os inimigos e os bosses são cativantes, originais e oferecem um bom desafio. Com dificuldade q.b., alguns requerem alguma perícia e até “puzzle-solving” para serem derrotados, e nesta matéria leva nota positiva.

phineas and ferb

Para acabar temos um mini jogo de arcade repetitivo demais, estático e muito limitado. Controlamos uma nave durante mais de 10 níveis e temos de destruir dois tipos de naves inimigas antes que choquem contra nós. E pronto, é isto.

phineas and ferb

No geral, dada a faixa etária a que se destina, Phineas and Ferb: Day of Doofenshmirtz não é nada de especial mas cumpre com a sua obrigação com uma nota positiva arrancada a ferros.É um jogo que roça o vulgar platformer cliché de finais de vida da PS2 e só justifica a sua existência para a Disney arrecadar mais uns trocos. Com jogos assim, realmente a PS Vita tem os seus dias contados.