28 Ago 2018
PS Vita

Análise Football Manager Classic 2014

Já podemos ser como o José Mourinho, onde quer que estejamos.

A época continua, e desta vez é portátil, na PS Vita, com a chegada de Football Manager Classic 2014. Nesta versão poderão contar com todos os conteúdo que o Football Manager 2014, para PC e Mac traz, mas optimizada para um touch screen de cinco polegadas.

A primeira vez que se inicia o jogo pode ser um pouco cansativa para algumas pessoas devido loadings demorados e uma instalação de dados necessária, mas essa instalação só é necessária a primeira vez. Em Football Manager Classic 2014 temos todas as ligas existentes na versão PC, contudo estamos limitado a escolher apenas três ligas diferentes. Dentro dessas três ligas podemos escolher as várias divisões, tendo ao lado uma classificação da velocidade que o jogo vai demorar a carregar. Esta classificação é representada por cinco estrelas, e quanto mais conteúdo selecionarmos, mais o rating baixa, tornando-se numa útil para dar ao jogador a sensação dos tempos de carregamento no jogo. Mesmo escolhendo apenas a primeira liga inglesa e portuguesa, ainda demora um certo tempo a iniciar o jogo. O jogador tem a opção de escolher o modo clássico (daí o nome) ou então o modo desafio, descartando assim o modo Football Manager da versão PC.

Analise

Navegação intuitiva, mas alguns problemas a aceder os menus mais pequenos

Os menus em si, não poderiam estar distribuídos como na versão PC, sendo que a solução que a Sports Interactive Games nos deu foi um drop-down menu, tendo as funcionalidades todas distribuídas por abas. Quanto aos botões da PlayStation Vita, estes receberam funções específicas, de modo a servirem de atalhos, como é o caso da seta esquerda e seta direita que são utilizadas para navegar nos menus anteriores e posteriores, o botão R mostra o drop-down menu, o X para avançar o dia, o Triângulo que mostra a legenda de elementos selecionados, e por fim o analógico direito que serve para fazer scroll down nas páginas.

Sendo o jogo todo navegável por touch, algumas funções conhecidas estão aplicadas no jogo, como é o caso de ficar a carregar num nome para aparecer um sub-menu, contudo não existe a opção de fazer zoom no ecrã. O zoom é uma das funções que facilitava muito a navegação nos menus, pois acontece muitas vezes carregar na opção errada, por vezes até demais.

Quanto ao conteúdo em si, continua a faltar os emblemas e fotografias de muitos jogadores, e mesmo sendo lançado agora, o jogo já tem as transferências de Janeiro de 2014, contudo a época começa em Agosto de 2013.

Analise

Tudo o que a versão PC tem para oferecer, mas compacto e portátil

Nos jogos temos também todas as opções que a versão PC fornece, incluindo a vista 3D dos acontecimentos. Não há problemas a nível visual durante os jogos, nem de fluidez do jogo. É no entanto nos jogos onde temos o único audio do jogo, sendo apenas o som dos espectadores. O jogo torna-se monótono, pois na versão PC temos sempre a opção de fazer Alt + Tab para ouvir uma música, enquanto que na PS Vita não podemos.

Resumindo e finalizando, Football Manager Classic 2014 é um bom port para a consola portátil da Sony, contudo ainda há várias arestas a polir, como os elementos demasiados pequenos para se alcançar através do touch, loadings demorados e monotonia sonora. Para quem procurava um jogo deste género de uma forma mais portátil, este jogo é sem dúvida o melhor que encontrarão, e para quem já tem a versão PC, ficarão contentes por saber que o jogo tem a funcionalidade cross-save, permitindo que continuem o vosso jogo em qualquer lado. Saiu também recentemente uma atualização que corrige muitas das funcionalidades touch, melhorando a navegação nos menus, e a acessibilidade de muitas funções.

[display_label style=success]Pontos Positivos[/display_label]

  • Finalmente uma versão portátil
  • Cross-Save
  • Navegação intuitiva

[display_label style=negativo]Pontos Negativos[/display_label]

  • Loadings demorados
  • Monotonia Sonora
  • Alguns problemas a aceder às opções mais pequenas

Cópia cedida pela EcoPlay para análise.

Também te pode interessar