16 Ago 2018
Wii U

Breath of the Wild: Um olhar sobre o primeiro DLC

Master Trials convida-nos a voltar a Hyrule.

Dezenas de horas foram gastas a explorar Hyrule no agradável mês de Março deste ano, um dos melhores meses de sempre para os videojogos. Não me arrependo de nenhum minuto passado a limpar a escuridão que habita no reino, ou simplesmente a explorar vastas áreas virtuais. Só tenho pena de não conseguir ter mais tempo para explorar tudo a 100%. A Nintendo fez algo que divide opiniões: Lançou conteúdo pago adicional para o mais recente título de The Legend of Zelda. Vamos ver se realmente justifica os 19.99€ que os fiéis seguidores da franquia vão ter que pagar para estender (ainda mais) a aventura.

Mais que um simples DLC que adicione conteúdo estético, Master Trials vem recheado de novos itens e fatos, sim, mas também adiciona 2 modos de jogo que são mais que razão suficiente para voltar a Hyrule. Falando primeiro dos bens materiais, em primeiro lugar temos o Traveler’s Medallion. Esta medalha permite-nos criar um ponto de Fast Travel onde quisermos, mas apenas conseguimos registar uma única localização. Encontram-se agora em Hyrule novos baús com armaduras referentes a outros jogos da série e máscaras. São uma boa adição ao nosso guarda roupa, mas apenas a mascara de Korok é que tem alguma utilidade extra, pois permite-nos encontrar as sementes com maior facilidade. Nota pessoal: O fato de Tingle é bastante cringe e faz-me sentir o Filthy Frank de Hyrule.

Existe também uma nova ferramenta para ajudar na exploração do reino: O Hero’s Path. Basicamente, é um registo de todo o percurso que fizemos nas últimas 200 horas de jogo e que nos indica todos os sítios que já visitamos, tornando assim mais fácil a tarefa de visitar todas as zonas que ainda não fomos.

Mas é em Master Trials que vamos encontrar novas razões para nos colarmos ao jogo. A Master Sword tem cerca de 50 desafios preparados para fazer a nossa vida num inferno. Começamos do zero, sem comida, armadura ou armas, e cada um dos pisos representa um desafio onde temos que matar todos os inimigos. Não é tarefa fácil, pois na maior parte dos casos temos que desenvolver estratégias avançadas. Os recursos são escassos e não podemos gravar o nosso progresso.

E para terminar este primeiro pacote de conteúdos, temos o Master Mode. Se acharam o jogo fácil, este modo é para vocês. A primeira diferença que vão encontrar, é o simples facto de todos os inimigos serem de rank superior e terem todos a habilidade de regenerar saúde. Para além do mais, os “spawns” estão diferentes e agora são capazes de desenvolver táticas mais avançadas, como do nada aparecerem numa plataforma voadora. Existem também alguns baús que estão espalhados pelos céus de Hyrule. De resto, todo a aventura mantem-se intacta.

No geral, este primeiro pacote vale a pena para quem procura desafios complicados, e não para quem procura estender a sua experiência de turismo virtual. Acredito que a Nintendo esteja a guardar o melhor para Champions Ballad. Daremos o nosso veredito quando todo o Expansion Pass estiver completo.

 

Também te pode interessar