07 Set 2018
PS4

Análise – Sonic Forces

Sonic de volta ao paranormal 3D.

Depois de um fantástico Sonic Mania no final do verão passado, as expectativas para Sonic Forces estavam bastante baixas. Ignorando a série Boom, o último grande jogo 3D de Sonic (Sonic Generations) encheu-me as medidas e quebrou um pouco o estigma de jogos 3D do ouriço. Contudo, todos os trailers e imagens que a Sega foi lançando de Forces não me convenceram, mas no final, até me acabou por surpreender pela positiva (mas não muito).

Em Sonic Forces, Eggman consegue raptar Sonic e tomar controlo do mundo enquanto o herói se encontra aprisionado. 6 meses depois, Sonic consegue escapar e reúne-se com os seus antigos parceiros, unindo forças até com antigos vilões para repelir as tropas de Eggman. Porém, existem 2 novos aliados de destaque: Sonic Clássico e um avatar criado por nós. Podemos escolher a raça e a aparência, e ao longo do jogo iremos desbloquear novos fatos e acessórios para  o personalizarmos. Destaco o facto de existir um DLC que vem com a cópia do jogo para descarregar acessórios inspirados noutros jogos da Sega e até de Persona 5 (a Atlus agora pertence à Sega). Resumindo, a história de Sonic Forces é cheesy e básica, mas tem vários momentos curiosos. Dá sempre aquele ligeiro arrepio quando os personagens derrotam um vilão mais forte, apesar de ser em sequências clichés de histórias do género. Consegue ser melhor que aquilo que pensei ao inicio.

As primeiras missões do jogo introduzem-nos às funcionalidades do jogo, e fiquei com bastante esperança quando me apresentaram missões extra e objectivos diários. Fiquei com esperança que o replay value do jogo estivesse presente, mas quando cheguei perto do final cai na real e vi que não passava de uma ilusão. O que acontece, é que ao completar objectivos diários, ganhamos multiplicadores de experiência para subir o nosso nível mais rapidamente, mas as missões extras são poucas, e na maior parte das vezes é completar determinado nível da história sem qualquer tipo de continue.

Falando na jogabilidade, existem 3 tipos distintos. Em primeiro lugar temos o Sonic actual, numa vertente 3D. Não posso dizer que a jogabilidade seja má, antes pelo contrário, o controlo do personagem é bastante bom, o problema é mesmo o design dos níveis. Quase todos eles são passados a correr e a atropelar tudo o que seja inimigo. Aproveito então para falar logo da longevidade. Existem 30 missões de história que se acabam em pouco mais de 2 horas. Cada nível dura cerca de 1-2 min, sendo que os maiores terminam-se em 6-7 min. É de realçar que terminei o jogo em Hard. E qual é a diferença para o modo normal? No normal quando levamos dano, perdemos uma pequena quantidade de anéis, em Hard perdemos todos, ou seja, é a dificuldade normal de qualquer jogo de Sonic. Existem bastantes checkpoints durante os níveis, por isso nunca senti qualquer tipo de obstáculo na campanha.

Em segundo lugar temos o Sonic clássico que foi uma completa desilusão. Tem o mesmo problema que tinha em Sonic Generations, as físicas, mas aqui confesso que ainda pareciam piores. Depois os níveis dele não têm inspiração nenhuma (talvez estou mal habituado por causa de Sonic Mania) e apesar dos problemas em ambos, acabei por me divertir mais com o Sonic actual. Por fim temos o avatar. A jogabilidade dele é mais lenta que Sonic actual, mas acaba por ser bem mais interessante que Sonic clássico. O nosso avatar vem equipado com algumas armas que mudam um pouco a forma de jogar. Existem secções 2D e 3D e devido ás suas habilidade, acabei por gostar mais do que os outros dois devido ao facto de ter marcado diferença.

Existem coleccionáveis pelos níveis, e foi ai que ao longo de todo o jogo pensei que ainda fosse voltar a pegar nele, mas quando o tentei fazer, não tive vontade nenhuma e acabei por arrumar o jogo de vez. Existe um DLC gratuito focado em Shadow, mas conta apenas com 3 níveis, níveis esses que já se encontravam na campanha mas com algumas diferenças. Apenas acrescenta mais 15 minutos ao jogo.

Graficamente não acrescenta nada de novo, mas é o que se podia esperar de um jogo de Sonic, e serve para limpar a mancha deixada pelo pobre design de Sonic Boom. Já na banda sonora, o jogo brilha bastante. Os níveis vêm equipados com excelentes melodias que se adequam à adrenalina do jogo. Algumas músicas com voz fazem lembrar os cheesy mas nostálgicos momentos musicais de Sonic R.

Sonic Forces não é tão mau como estava à espera, mas infelizmente fica aquém daquilo que considero bom. Foram quase 3 horas bem passadas em frente à TV, mas que não me deixaram com mais vontade de voltar a pegar nele, nem tão pouco me vai ocupar um lugar especial na memória. Fica apenas a ideia de algo que poderia ter sido um regresso em grande de Sonic ao mundo 3D.

Também te pode interessar