26 Mar 2020
Switch

Análise – Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX

Preparados para assumir o papel de um Pokémon?

Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX marca o regresso à série Mystery Dungeon. A Nintendo decidiu jogar pelo seguro, e fazer um remake dos originais, lançados em 2005 para Game Boy Advance e Nintendo DS.

Em Rescue Team assumimos o papel de um humano que um dia acorda dentro do corpo de um Pokémon. Existe um vasto leque de Pokémon que podemos ser, e depois de um pequeno teste de personalidade o jogo sugere-nos qual dos Pokémon devemos assumir, mas que ao contrário do jogo original, podemos mudar essa sugestão e escolher o que nos bem entender. No meu caso, o jogo aconselhou-me o Bulbasaur, mas acabei por escolher o Charmander, e como companheiro de resgate escolhi o Machop. Sem nos lembrarmos do nosso passado e com a ajuda do nosso parceiro, criamos uma agência de resgates, onde recebemos pedidos de ajuda de outros Pokémon.

O jogo gira em torno disto: receber pedidos e embarcar em viagens a diferentes localizações para resgatar e recrutar novos companheiros. Infelizmente existem poucas variedades de missões, e resumem-se a chegar perto de um Pokémon, escoltar o nosso cliente para perto dos seus amigos, encontrar e entregar objectos. Ao longo da campanha vamos completar centenas de missões, mas cedo se tornam repetitivas. A acção passa-se em “masmorras” geradas de forma aleatória. Apesar de aleatórias, acabam por ainda mais repetitivas do que parece, porque praticamente todas as salas são iguais e mais parece que é sempre a mesma masmorra, e não uma diferente. Não é boa ideia organizar duas expedições de seguida ao mesmo sitio, isto se não se quiserem fartar do jogo bastante depressa.

Destacamos sempre 3 membros para as expedições: nós, o nosso parceiro e um terceiro membro em casa piso podemos explorar à procura de itens, Pokémon para derrotar que nos dão experiência, não só aos nossos Pokémon como a cada um dos ataques que evoluem de forma independente, mas como ainda nos dão a possibilidade de recrutar os Pokémon derrotado. Este recrutamento aleatório, mas levei o jogo todo com habilidades raras na minha equipa que aumentava as chances de recrutamento, o que me fez sempre andar com um batalhão nas masmorras. Os combates são por turnos, e com alguns elementos tácticos, mas depende muito da posição do resto da equipa, e por vezes a IA dos nossos parceiros não é a melhor, e apenas conseguimos controlar os 3 que destacamos. Os Pokémon que vamos recrutando nas masmorras só se juntam a nós se conseguirmos sair da masmorra a salvo e se tivermos criados campos onde possam habitar. Numa fase inicial do jogo isto pode-se tornar chato quando apanhamos um Pokémon que gostamos muito, mas não temos sitio para ele.

Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX é um roguelike, ou seja, se toda a equipa desmaiar temos duas opções: esperar que outro jogador online nos resgate, ou voltar para o acampamento sem o dinheiro e itens (e claro, sem os Pokémon que recrutamos nessa masmorra), o que me fez adoptar a rotina de antes de cada missão, depositar dinheiro e itens no banco. O dinheiro é um recurso bastante importante neste jogo, pois os campos são caríssimos mas essenciais para os coleccionadores de Pokémon.

Para além de querermos descobrir o porquê de nos termos tornado num Pokémon, a história também gira em volta de desastres naturais que estão a afectar o mundo, e será que os dois estão ligados? A história é simples e apelativa para miúdos, mas não quer dizer que seja má. É ligeira, sem grande presunção e curta, pois o jogo só começa a sério depois de terminado o enredo. Assim que os créditos acabam de rolar, aparecem no mapa muitas mais localizações para explorar, lendários e a opção de evoluir Pokémon, coisa que estava bloqueada durante todo o jogo.

Uma das alterações na jogabilidade face ao original, é o auto-mode. Carregando uma vez no L, a nossa equipa vai explorando o piso da masmorra de forma automática, parando apenas quando encontram um inimigo ou as escadas para o próximo piso. Podemos definir nas opções se queremos que eles explorem o piso todo, ou apenas se concentrem em encontrar as escadas. A arte do jogo é muito boa e dá um toque muito único ao jogo, tanto os cenários como os Pokémon, mas acaba por ser o mesmo jogo com algumas melhorias. Podiam ter aproveitado a oportunidade para dar uma nova dinâmica.

 

Apesar do novo look e de muitas melhorias, Pokémon Mystery Dugeon: Rescue Team DX tem a mesma fórmula do original que já na altura não acrescentava nada de novo. Mas mesmo com todos os problemas, dei por mim completamente viciado em vaguear por corredores repetitivos em busca de novos companheiros para os meus campos. É um jogo mediano, mas se são fãs de Pokémon e se gostam de coleccionar, não hesitem em dar uma oportunidade a este título.

Pokémon Mystery Dungeon: Rescue Team DX
7 / 10 Pontuação
Resumo
Apesar de repetitivo e não acrescentar nada de novo, este remake tem um certo charme que nos faz ficar colados horas a fio a um jogo que está feito para ser jogado durante curtas sessões.
Rating7

Related posts