26 Set 2020
PS4

Análise – Mortal Kombat 11: Aftermath

Passado um ano desde a nossa análise a Mortal Kombat 11, trazemos hoje a nossa opinião do mais recente DLC que caiu do céu (e ainda bem) nas nossas consolas: Mortal Kombat 11: Aftermath.

É impressionante o suporte da NetherRealm a Mortal Kombat 11, título que já é visto como um dos mais marcantes da actual geração de consolas e um favorito dentro do género.

Para além das habituais actualizações que foram saído do roadmap da NetherRealm onde fomos conhecendo novos personagens e respectivas skins, Aftermath foi muito mais que isso. Foi o continuar da história, que havia sido prometido.

Nós, na Foxbyte, começámos a atirar dinheiro para o nosso monitor mal vimos o trailer com o RoboCop, um dos grandes protagonistas desta expansão.

Mas vamos voltar atrás no tempo antes de começar, se ainda não o fizeram, podem sempre ler a nossa opinião publicada há um ano atrás.

Para quem está a chegar, Mortal Kombat 11 termina com a chegada de uma nova linha temporal, orquestrada por Liu Kang – O Deus do Fogo. É por aqui que Aftermath começa, não é uma simples expansão que acrescenta lutadores – é muito mais que isso.

Shang Tsung está de volta como o vilão que nunca desiste e chega desta vez para nos avisar que estamos prestes a cometer um erro que fará com que nunca mais consigamos reiniciar a história ao nosso gosto e que a criação de várias linhas temporais só vai dar problemas.

Liu Kang, Raiden e Shang Tsung – a equipa improvável, juntam-se assim para tentar remendar as coisas e voltam atrás no tempo para recuperar a coroa de Kronika e emendar as coisas de uma vez por todas, correndo o risco de reiniciar a história e assim, novamente a franquia Mortal Kombat.

As velhas caras são relembradas

Personagens nossos conhecidos que estavam meio esquecidos como por exemplo Sheeva ou Sindel, tiveram em Aftermath, direito ao seu tempo de antena com capítulos dedicados. Muito positivo a forma como a NetherRealm quis incluir jogadores já adicionados noutras expansões mas agora com o seu pedaçinho de história.

São cerca de 3h adicionais de história, algo que num jogo de luta é muito bom. O mais provável é que mal comecem a jogar não parem porque vão ficar agarrados do início ao fim e no fim…bem, vão querer mais.

Para além das novidades na história, o leque de jogadores aumentou: Fujin, Sheeva e claro (o meu pessoal favorito) RoboCop. Nunca imaginei um RoboCop vs T-800: é a loucura total!

Para além dos personagens, há também uma actualização grátis que promete divertir ainda mais as vossas horas de jogo com uma série de Friendships, arenas e novas Fatalities.

Um regresso em grande

Foi óptimo regressar a Mortal Kombat 11, a fórmula mantém-se vencedora e é sem dúvida um jogo que nunca sai da nossa consola, divertido, viciante e perfeito para jogar com os amigos ou sozinho.

Com a expansão Aftermath não há motivos para deixar escapar a oportunidade de investir nesta fantástica franquia, Mortal Kombat 11: Aftermath é obrigatório na vossa estante ou biblioteca virtual.

Quem já possui o jogo base Mortal Kombat 11 e o Kombat Pack, pode adquirir digitalmente  a expansão Mortal Kombat 11: Aftermath, por 39.99€ (PVP estimado).

Se apenas possuem o jogo base, o pacote digital Mortal Kombat 11: Aftermath + Kombat Pack pode ser adquirido por 49.99€ (PVP estimado).

Quem só agora se junta à luta pode adquirir a Mortal Kombat 11: Aftermath Kollection por 59.99€ (PVP estimado).
A Mortal Kombat 11: Aftermath Kollection contém o jogo base Mortal Kombat 11, todo o conteúdo da expansão Mortal Kombat 11: Aftermath e ainda o Mortal Kombat 11 Kombat Pack.

Mortal Kombat 11: Aftermath
9 / 10 Pontuação
Rating9

Related posts