Kirby faz a sua estreia na Nintendo Switch

Depois de Link e Mario protagonizarem duas das melhores aventuras dentro do seu mundo, Kirby chega à Nintendo Switch numa aventura que antecipei bastante. Sendo fã desta bolinha rosa, as minhas expectativas estavam bastante altas, principalmente depois de ter jogado a incrível demo que foi lançada semanas antes do jogo. Infelizmente não correu tal como eu tinha esperado, e deixou-me com um sabor amargo depois de o ter terminado.

Kirby Star Allies não foge muito da forma habitual da série. Trata-se de um jogo de plataformas num plano horizontal onde para além de Kirby, somos sempre acompanhados por até 3 companheiros de jornada. Neste jogo Kirby consegue recrutar inimigos que se juntam à nossa causa e nos ajudam não só a derrotar outros inimigos, como a combinar habilidades. Conseguimos pôr as armas de alguns personagens (poderes no caso de Kirby) em chamas, com electricidade, com gelo e até mesmo combinar de outras formas, como arremessar amigos contra obstáculos ou criar remoinhos. Existem habilidades para resolver alguns pequenos desafios espalhados pelos níveis, e algumas dessas mecânica só são utilizadas uma vez.

Comecei o jogo completamente deslumbrado, desde o mapa que é apresentado num overworld semelhante a Super Mario Bros. 3, pelos níveis coloridos e pela mecânica das habilidades. Infelizmente quando cheguei ao segundo mapa, percebi que faltava algo. Claramente o jogo foi desenhado a pensar num público bem mais jovem, e isso reflete-se na dificuldade e fraca complexidade dos níveis. Só se morre neste jogo se estivermos muito distraídos, pois parece que não existe um balanço na dificuldade para o facto de existirem 4 personagens na equipa. Os bosses são completamente dizimados. Os desafios, para além de poucos e ainda por cima não trazem grandes recompensas para o jogador, têm a solução sempre por perto. Se forem precisos dois poderes específicos, eles estão literalmente ao lado. Podemos também recrutar personagens icônicos da série Kirby e utiliza-los como companheiros de aventura.

Os controlos são bastante bons e a inteligência artificial dos nossos companheiros é incrível. Nunca me senti prejudicado por eles, mas quando controlados por amigos, o caso muda de figura. Lembram-se da confusão que era jogar com amigos  New Super Mario Bros. na Wii? Sim, esse sentimento está de volta com Kirby. Quantos maior o número de jogadores, maior a confusão. Mesmo jogando sozinho, por vezes tinha dificuldade em perceber o que se estava a passar. Mas no meio de toda a confusão, é bastante divertido conseguir conjugar com amigos os combos de habilidades e conseguir completar tudo a 100%.

A campanha é curta. A jogar com calma, terminei em sensivelmente 5 horas. Como já referi, não encontrei grande desafio nem mesmo nos bosses que são autênticos sacos de pancada. Para além do deslumbre que tive ao jogar pela primeira vez, o único momento em que fiquei empolgado foi durante a batalha final que é completamente diferente do resto do jogo, e é uma pena que só tenham pegado na ideia mesmo no final. Depois de terminada a campanha, somos presenteados pelo Guest Star ???? Star Allies Go!, uma versão bastante modificada da campanha onde começamos com um personagem à escolha (não pode ser Kirby) e embarcamos numa aventura corrida, com checkpoints pelo caminho (normalmente são depois dos bosses) e onde apanhamos upgrades para a saúde, ataque e velocidade, adicionando uma discreta vertente RPG. Basicamente, trata-se de um modo Arcade.

Existe ainda o The Ultimate Choice que é uma espécie de “Boss Rush” onde podemos ajustar a dificuldade e assim ganhar mais peças para completar os puzzles e também existe dois mini-jogos, Chop Champs e Star Slam Heroes. São dois mini-jogos competitivos que vão desde 1 a 4 jogadores. O primeiro é um clone de Timber Man para Android e iOS, onde o objectivo é cortar mais lenha que os adversários. Em Star Slam Heroes o objectivo é arremessar um meteorito para fora de órbita com um taco de baseball, e o que atirar com mais força, ganha.

Os Amiibos não ficaram esquecidos, e todos funcionam em Kirby Star Allies. Podemos utilizar 7 Amiibos por stage (podendo repetir os mesmos Amiibos no stage seguinte), e para além de itens de cura, dão-nos também peças para o puzzle. Cada Amiibo relacionado com Kirby dará 2 peças, os restantes apenas uma.

Visualmente não tenho nada a apontar. É um jogo bastante colorido, com inimigos diversificados e efeitos bastante engraçados. No departamento sonoro, temos o típico ambiente “Kawaii” misturado com socos e pontapés em tudo o que se mexe. Grande parte das melodias são novas versões de músicas clássicas da série.

Em suma, Kirby Star Allies é um jogo bonito e divertido, mas que infelizmente é bastante curto e fácil. Algumas secções são bastante interessantes, mas na maior parte é bastante monótono e sem grande inspiração por parte da HAL Laboratory. Deixou-me com saudades dos tempos de Nightmare in Dreamland que ainda hoje é um dos meus favoritos da série.

7.0
Score

Pros

  • Excelente apresentação
  • Boas mecânicas

Cons

  • Dificuldade ajustada para crianças
  • Curto
  • "Sem sal" em grande parte das secções
Bom
7