26 Ago 2018
Análises

Análise – Story of Seasons

Vão precisar do Borda D’água para jogar.

A agricultura na vida real é uma arte que se está cada vez mais a perder, mas virtualmente continua a ter muitos seguidores e a ser improvisada. Muitos estão familiarizados com o nome “Harvest Moon”, uma série de jogos que simulam a vida numa quinta e que ganhou muitos fãs, maior parte sendo jogadores que nunca tiveram contacto com esta vida e que simplesmente ficaram fascinados com a jogabilidade anti-stressante e apelativa.

Chega-nos agora Story of Seasons, o sucessor/rebrand da marca. Jogadores dos antecessores vão-se sentir como peixinhos na água (ou como galinhas na capoeira), mas para novos jogadores será uma jornada pelo mundo da agricultura e pecuária que nunca mais irão esquecer.

storyofseasons (1)

A história começa quando Oak Tree Town precisa de “sangue novo” e abre então uma vaga para jovens fazendeiros. É aqui que o/a protagonista aborrecido/a com a sua vida monótona, decide aceitar o desafio e começar a sua jornada para se tornar no “rei do gado”. Sem qualquer experiência no ramo, vamos passar a primeira semana de jogo em treino. Eda, uma velha fazendeira acolhe-nos em casa durante esse período e ensina-nos o básico sobre gerir uma quinta. Aqui seremos introduzidos a personagens chave, utensílios e acções básicas como cultivar e ordenhar uma vaca. Mesmo depois de termos a nossa própria quinta, continuaremos a receber novas funcionalidades que vão desde formação em carpintaria até à possibilidade de exportar as nossas colheitas para outros países. Muito mais que um simples fazendeiro, seremos homens (ou mulheres) dos sete ofícios.

storyofseasons (5)

Podemos a qualquer momento remodelar o nosso espaço, acrescentado objectos ou fazendo remodelações a tudo na nossa quinta, seja para ganhar mais espaço ou simplesmente por uma questão de estética. Para isso é preciso comprar blueprints e arrecadar materiais. Ao longo do ano teremos vários dias especiais como feriados, dias de competições e aniversários. Também temos a possibilidade de desafiar outros fazendeiros a competir pelos campos de aluguer mas tudo de forma amigável. Fora das competições podemos interagir com os outros residentes, criar laços com eles e até nos podemos casar.

O único problema do jogo é que o inicio é lento, demora bastante até começar a ser realmente empolgante. Os primeiros meses serão para recolher materiais e começar uma pequena horta. Os dias irão passar a correr pois não há muito que fazer, mas mais para a frente acabamos por desejar ter mais energia e tempo para cuidar dos animais e dos campos. Apesar de não ser stressante, queremos sempre ter a quinta em condições e as colheitas crescidas até aos dias de exportação.  A grande novidade em relação a Harvest Moon, é a forma como cultivamos. Agora é bastante mais simples e rápido, pois em vez de semear/regar produto a produto, agora fazemos isso num quadrado de 3×3, o que torna as coisas bem mais simples e rápidas.

storyofseasons (2)

Graficamente não evoluiu muito em relação ao último jogo lançado em 2012, o que não é mau pois o jogo está carregado de cor e movimento. Nenhuma das música fica no ouvido assim que desligamos a consola, mas momentaneamente cumpre a sua função e adapta-se bem às diferentes actividades que estamos a realizar.

Em suma, Story of Seasons é um jogo que agrada a todo o tipo de público e é ideal para quem quer pegar num jogo e não se chatear. Existem ainda duas dificuldades: Normal e Seedling. Na primeira o jogo corre como suposto, na Seedling existe uma redução de preços nas lojas, assim como uma redução de custo de stamina. Assim o nosso personagem consegue efectuar mais actividades antes de chegar à exaustão.

storyofseasons (3)

A certo ponto do jogo existem sempre actividades para fazer e nunca nos aborrecemos. Ver os nossos campos a crescer é bastante gratificante, ainda por mais que podemos exibir as nossas colheitas em torneios. Não é nada de novo tanto a nível de jogabilidade como a nível gráfico, mas aperfeiçoa o que já tinha sido feito e continua a dar umas dezenas de horas bem passadas com a portátil na mão. O inicio é lento, o que pode afastar os jogadores menos pacientes, mas garanto-vos que ao fim de um par de horas não vão conseguir parar de jogar.


 

Também te pode interessar