Blaster Master Zero dá nova vida à série.

Lançado em 1988 para a NES, Blaster Master é um título da Sunsoft que fez furor na altura. Essa popularidade gerou sequelas e spin offs não só para Nintendo e agora, quase 20 anos depois, a Sunsoft em conjunto com a Inti Creates trazem-nos um reboot à série.

Mantendo um estilo 8-bits, Blaster Master Zero volta a contar a história de Jason Frudnik, um cientista que enquanto procura um sapo robótico se cruza com Sophia III, um veículo de combate que se torna no seu companheiro de viagem. Mais para a frente no jogo iremos encontrar Eve, uma personagem que apesar de não se lembrar muito bem do passado, sabe algo sobre Sophia e sobre os mutantes que assombram o planeta. Não esperem por um grande enredo neste jogo. A história é simples, cheia de observações obvias, falas repetidas e totalmente previsível tal como o original.

Mas Blaster Master Zero brilha em todos os outros aspetos. Começando por falar na jogabilidade, existem dois estilos de jogos. A jogabilidade enquanto estamos a pilotar Sophia III é feita no que chamamos “metroidvania“, onde exploramos enormes zonas com vários caminhos diferentes enquanto eliminamos inimigos que se atravessam no nosso caminho. Iremos receber novas armas e habilidades à medida que vamos derrotando bosses e avançado na história. Por vezes iremos encontrar portas que nos levam para pequenas grutas ou edifícios, e aqui a jogabilidade muda drasticamente, pois Jason tem que deixar o veículo para trás e continuar sozinho. Nestas sequências o jogo é visto de cima e seguimos Jason num top down shooter. Jason pode carregar várias armas e o que é curioso aqui, é que ele vai deixando cair as armas quando leva dano, das mais fortes para as mais fracas, e só as podemos voltar a recuperar ao apanhar uns pequenos ícones cor de rosa do chão, tal como a saúde. Algumas destas grutas podem não ter absolutamente nada, podem conter o mapa da área e bosses, e todos eles deixam para trás novas armas tanto para Jason e Sophia III, como também habilidades, estas exclusivas para o veículo.

Seja a pé ou no veículo, os controlos estão no ponto para o estilo de jogo que é. O HD Rumble está bastante bem implementado. Faz-nos sentir quando estamos perante momentos de perigo e ajuda-nos a medir a sua dimensão. Um dos melhores exemplos que podia dar é numa gruta em que por vezes aparece uma onda a varrer o cenário. Durante a passem da onda, a vibração dos Joy-Cons é tão precisa que sentimos a onda a passar pelo ecrã. A única queixa que tenho é que não dá para jogar apenas com um Joy-Con na horizontal mas compreendo que tivessem de ser feito sacrifícios de qualidade para tal acontecer. Bem, na verdade existe uma forma de jogar com os Joy-Cons dessa forma, é jogando o modo multijogador. Não acho que seja um modo muito relevante para a experiência de jogo e duvido que muita gente irá joga-lo desta forma, mas convém mencionar. Neste modo o primeiro jogador controla o personagem, enquanto o segundo apenas consegue disparar para os inimigos através de uma mira que aparece no ecrã.

A nível visual, Blaster Master Zero é o expoente máximo do estilo 8-bits. Os cenários, cutscenes animações, os inimigos, é tudo aquilo que podemos querer de um jogo “retro” e é bastante agradável tanto no ecrã da Switch como na televisão. Existem várias áreas e todas elas com diferentes temáticas, o que se reflete nos inimigos que iremos encontrar assim como as mecânicas de progressão. Na versão 3DS não notei perdas de qualidade e a experiência só não é a mesma pela ausência da vibração. É uma excelente alternativa para quem não tem a nova consola da Nintendo. O som utiliza como base a banda sonora original mas com arranjos mais modernos, e mesmo assim continua a assentar como uma luva nos ambientes do jogo. É daquelas bandas sonoras catchy e que nos fazem reconhecer o jogo mal começam a tocar.

Blaster Master Zero é dos melhores jogos que se encontra neste momento na eShop europeia da Switch e mesmo mantendo o estilo retro, certamente irá divertir qualquer tipo de jogador. Não se deixem enganar pelo preço do jogo, Blaster Master Zero é uma aventura que dura cerca de 6 horas e mais umas quantas caso decidam explorar as áreas de jogo a 100%.